7° Encontro Regional de Saúde Mental ocorreu na última sexta

0
43

Com o tema “História e desafios do futuro”, Panambi sediou, nesta sexta-feira 20 de maio, o VII Encontro Regional de Saúde Mental. A programação contou com palestras, atividades de integração, apresentação da Orquestra do SESI, além de ampliar e fortalecer a discussão sobre a luta antimanicomial. Mais de 350 pessoas de 19 municípios participaram do encontro.

A programação foi organizada pela Coordenadoria de Saúde Mental da SMS, pelas empresas parceiras, pelo SESI e contou com a colaboração das demais Secretarias da Administração Municipal.
Dentre os objetivos estão ampliar e fortalecer a discussão sobre a luta antimanicomial e a reforma psiquiátrica na região e as diferentes formas de cuidado que, ao longo dos anos, foram implantadas/implementadas, bem como promover maior visibilidade para os serviços de Saúde Mental e as ações de promoção de saúde que ocorrem nas cidades da região.

Pela manhã, os participantes foram recepcionados com café e ao som da Orquestra do SESI. Em seguida, houve a abertura oficial. A coordenadora de Saúde Mental da SMS, Giovana Pereira Ribeiro, conduziu a programação.
A coordenadora regional de Saúde Mental da 17ª CRS, Loureliz Scherer, destacou a importância do trabalho realizado pelas equipes de saúde mental. O Secretário Municipal de Saúde de Panambi, Romário Heitor Malheiros comentou que em nossa cidade temos um trabalho articulado entre as ESFs, Psicoclínica, Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) e Associação de Saúde Mental (ASSAMPA), cada um sendo responsável por uma etapa do processo de atendimento/acolhimento para com as pessoas com transtornos psicológicos.

O prefeito de Panambi, Daniel Hinnah, anunciou dois novos serviços de Saúde Mental que passarão a ser disponibilizados para a comunidade panambiense, sendo um deles ofertado pelo SESI e outro o Ambulatório de Saúde Mental, cujo projeto foi aprovado pelo Ministério da Saúde e, em breve, substituirá a Psicoclínica do município.

O encontro foi dirigido para a comunidade, profissionais de saúde, gestores municipais, usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares, equipes de outras secretarias que realizam o trabalho de intersetorialidade com a saúde e instituições parceiras.