A falta de chuva na região causa perdas consideráveis ao município de Panambi

0
273

Pelo levantamento feito pela Emater, Cotripal e Heja (produtor de lactíneos no município), a falta de chuva trouxe consequências com números que preocupam. Os dados foram fornecidos pela EMATER local juntamente com os órgãos SDE (Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Ambiental) e o COMPAA (Conselho Municipal de Políticas Agrícolas).

No mês de novembro não houve precipitações com chuvas regulares no município causando sérios danos à cultura local sendo elas: soja, milho grão, milho silagem e atividade leiteira.

O evento atingiu a cultura do milho na fase mais crítica sendo o florescimento de grãos, portanto não ocorrendo a polinização adequada ocorreu a falha de formação de grãos e desenvolveu-se espigas menores e deformadas. No caso do milho silagem o evento atingiu todas as fazes de desenvolvimento, ocasionando redução no porte das plantas e redução de grãos nas espigas, tendo assim um produto de baixa qualidade.

Na atividade leiteira, 100% das áreas destinadas à formação de pastoreio foram atingidas pelo evento. Os danos chegaram a reduzir cerca de 30% da produção leiteira em um período de 42 dias.

Segue abaixo dados fornecidos pelos órgãos municipais que participaram do levantamento:

Estimativas de perdas:

MILHO: R$ 4.531.730,00
MILHO SILAGEM: R$ 6.458.400,00
PECUÁRIA LEITEIRA: R$ 1.503.978,32

TOTAL DE PERDAS: R$ 12.494.108,32

Devido aos dano irrecuperáveis aos municípios e produtores rurais, a Federação das Associações de Municípios e o Conselho dos Secretários Municipais de Agricultura solicitaram as seguintes medidas governamentais para amenizar tal situação preocupante:

1º- Liberação urgente os recursos orçados do programa Avançar Agro para execução pela Secretaria da Agricultura Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), especialmente no que se refere a abertura de poços artesianos, construção de redes de água, irrigação e abertura de açudes;

2º- Anistia do programa troca-troca de milho para os produtores atingidos;

3º- Realização de uma reunião entre os dias 10 e 15 de janeiro de 2021, com a Vossa Excelência e técnicos da SEAPDR para orientações aos gestores municipais sobre a operacionalização do programa Avançar Agro- RS e outras medidas preventivas para amenizar a situação de estiagem que atinge o estado.