Adolescente de 15 anos morreu em Ijuí após ser dopada e estuprada, diz família

0
44

Após concluído inquérito, que apurou a morte de Milena Eduarda Deckert Schreiber, de 15 anos, ocorrida no dia 20 de setembro do ano passado em Ijuí , a família da adolescente, se manifesta alegando que ela foi morta depois de ser dopada e estuprada.
O fato ocorreu durante uma comemoração do feriado da Revolução Farroupilha na localidade de Capão Bonito, interior do município.
O principal suspeito do crime é um adolescente de 17 anos, que teria sido o autor da violência. Milena foi socorrida, mas chegou sem vida ao hospital.
Um dos advogados da família, Humberto Meister, teve acesso á investigação e diz que o laudo pericial comprovou a presença de duas substâncias na urina de Milena.
Meister afirma que as substâncias teriam tirado a capacidade de defesa da adolescente. “Uma de natureza anestésica e outra de natureza sedativa. Foi aí que se compreendeu o que tinha acontecido. Porque ela não tinha reagido nem pedido socorro ou oferecido resistência de qualquer forma”, afirma.
Os laudos periciais apontam lacerações que causaram uma forte hemorragia, resultando na morte da adolescente. Com o inquérito concluído, o caso agora está com o Ministério Público.
Quatro meses depois do crime, os pais, Cristiano e Cristiane Deckert Schreiber, de 39 anos, buscam justiça para a filha e estão convictos de que a morte de Milena não foi acidental.
“Muito difícil! Não deram chance nenhuma para a minha filha. Um crime muito cruel, covarde, horrível, use a palavra que quiser. Foi um crime totalmente premeditado”, diz Cristiano.

Fonte: G1 RS