Conecte-se conosco

Cultura

Cachaçarias começam recuperação pós-pandemia

Publicado em

em

Paraguai e Alemanha foram principais destinos da cachaça brasileira.

O setor produtor de cachaça começou a se recuperar da pandemia de covid-19 e, após um ano de crise mundial, o número de exportações voltou a crescer em 2021. O ano passado trouxe um crescimento de 29,5% no volume de cachaça exportado e de 38,4% no valor de venda de exportações em comparação com 2020. Os dados foram apresentados ontem(13) no Anuário da Cachaça 2021, documento produzido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

De acordo com o levantamento, o valor total de exportações passou de US$ 9,52 milhões em 2020 para US$ 13,17 milhões em 2021. Ainda é, no entanto, um número 9,8% inferior ao apurado no período anterior à pandemia. Outro aspecto abordado no documento é o número de países exportadores. Houve uma pequena redução em relação a 2020, quando 70 países exportaram cachaça. Em 2021, foram 67 países.

O Paraguai e a Alemanha foram os principais destinos da cachaça brasileira exportada em 2021. Os dois países foram responsáveis, respectivamente, por 22,59% e 22,58% da cachaça exportada pelo Brasil. Tanto Paraguai quanto Alemanha foram os únicos países a importarem mais de 1 milhão de litros de cachaça. O vizinho sul-americano importou 1.631.503 litros e o país europeu, 1.630.407.

Os valores de exportação, no entanto, mudam de país para país. O Paraguai é o destino em que a cachaça é exportada com o menor valor médio, US$ 0,81/litro. Já os Estados Unidos são o principal destino da cachaça no que se refere aos valores exportados. O país compra o produto com o valor médio de US$ 3,85/litro.

Estabelecimentos

O ano de 2021 marcou uma redução no número de estabelecimentos produtores de cachaça registrados no ministério, com uma queda de 2% em relação ao ano anterior. Em 2021, foram contabilizados 936 estabelecimentos – em 2020, eram 955 cachaçarias registradas. Em 2021 foram registradas 98 novas cachaçarias e outras 117 cancelaram seus registros.

Minas Gerais, como de praxe, concentra o maior número de estabelecimentos registrados. Maior polo produtor da bebida, o estado tem 353 estabelecimentos. Em segundo, aparece São Paulo, com 143. Espírito Santo e Rio de Janeiro aparecem em seguida, com 64 e 60 estabelecimentos, respectivamente.

Fonte: Agência Brasil

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Brigada Militar flagra maus-tratos a animais no interior de Frederico Westphalen

Publicado em

em

A Brigada Militar, por meio do 3º Batalhão Ambiental (BABM), flagrou nesta quinta-feira (11/07), animais vítimas de maus-tratos, no interior do município de Frederico Westphalen.

Após receber uma denúncia anônima, os policiais militares, acompanhados de Bombeiros Militares, médicas veterinárias e agentes da Inspetoria Sanitária do município, flagraram, em uma residência, animais em situação de maus-tratos.

Ao chegar no local, as equipes avistaram uma égua, caída, em estado de extrema desnutrição. Também, uma cachorrinha, sem raça definida, apresentava sarna em todo o corpo . Três cães, da raça Pastor-alemão, estavam presos em abrigos improvisados, não havia alimentação adequada aos cachorros. Ainda, os policiais militares encontraram dois porcos confinados em um local com grande acúmulo de dejetos, os suínos estavam magros e sem acesso à água e comida .

As veterinárias constataram os maus-tratos aos animais, emitindo o laudo médico. O responsável foi identificado e responderá pelo crime de maus-tratos.

Os animais receberam os cuidados médicos-veterinários. Infelizmente, devido à gravidade do estado de saúde, a égua não resistiu.

Seja parceiro do Comando Ambiental da Brigada Militar, *denuncie maus-tratos a animais*. É importante que a denúncia aconteça e que os responsáveis pela crueldade sejam punidos.

Edição: Comunicação Social 3º BABM

Foto: 3º BABM | Frederico Westphalen

MB Notícias

Continue lendo

Cultura

Notas de avaliadores não garantem aprovação de projetos importantes da cultura do RS pela Lei de Incentivo à Cultura

Publicado em

em

O Diário Oficial do Estado divulgou a lista de projetos classificados, com base nas notas dos avaliadores, para receberem R$ 30 milhões de recursos via Lei Estadual de Incentivo à Cultura. No segmento Semana Farroupilha, foram 19 inscritos para apenas seis vagas. Ao todo, 637 trabalhos foram submetidos.

A partir dos recursos e critérios de repescagem, a relação pode mudar. E mais atividades ligadas às tradições gaúchas podem ser contempladas, segundo a Secretaria da Cultura. A pasta afirma que, mesmo considerando o total de vagas, já estão contemplados o dobro de projetos no segmento, em relação ao ano passado.

Tomara: pelas notas dadas pela comissão de avaliação, que substitui o Conselho Estadual de Cultura no exame dos projetos, eventos importantes, como a Semana Farroupilha de Piratini, e até mesmo atividades de outros segmentos, como Califórnia da Canção, Coxilha Nativista e a parte musical da Expointer, ficariam de fora. O músico César Oliveira, da dupla César Oliveira & Rogério Melo, criticou os critérios de avaliação.

“Por exemplo: como um evento como a Expointer não possui apelo cultural ao receber uma nota baixa em tal pré-requisito?”, questiona.

No ano passado, a rejeição do projeto musical da Expointer motivou uma manifestação do governador Eduardo Leite. E ajudou a ensejar a criação de bancas de avaliadores, tirando dos conselheiros de cultura a tarefa de examinar os projetos.

Nota da Secretaria da Cultura, enviada ao blog:

As mudanças na Lei de Incentivo à Cultura (LIC), realizadas pela Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), favoreceram o financiamento de projetos relacionados à Semana Farroupilha. No ano passado, foram apresentados 24 e 3 restaram aprovados pelo Conselho Estadual de Cultura. Neste ano, com categoria específica e vagas asseguradas, já é possível identificar – no resultado preliminar – o dobro de projetos que serão contemplados. Outros projetos ainda podem entrar na repescagem (que distribui recursos para equilibrar a demanda e a descentralização regional).

Além disso, a concorrência na categoria citada foi menor, pois alcança uma maior proporção dos projetos apresentados em comparação com a concorrência geral. A quantidade de vagas asseguradas para esta categoria representa 32% da demanda, com 19 projetos inscritos para seis vagas, enquanto a média geral é de 11%, com 637 projetos inscritos para 74 vagas.

Cabe lembrar que, por meio da Chamada Pública de Coinvestimento com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), 40 projetos com esta temática foram aprovados. Além dos já realizados ao longo de 2023, outros cinco já estão previstos para ocorrer neste ano.

Fonte: Grupo RBS

Continue lendo

Cultura

Morre o ator Bill Cobbs, que fez “O Guarda-Costas” e “Uma Noite no Museu”

Publicado em

em

Conhecido por papéis secundários, o ator americano Bill Cobbs morreu nesta terça-feira (25), na Califórnia, Estados Unidos, aos 90 anos. A causa da morte ainda não foi revelada. Ele fez Bill Devaney em O Guarda-Costas (1992), um dos funcionários de Rachel Marron, vivida pela cantora e atriz Whitney Houston (1963-2012).

Conforme informações do TMZ, Cobbs estava tratando uma pneumonia, doença suspeita da causa da morte. Ele comemorou os 90 anos no dia 16 de junho.

O ator, que começou a sua trajetória nos anos 1970, tinha cerca de 50 anos de experiência em Hollywood. Contracenou com Ben Stiller em Uma Noite no Museu (2006), interpretando um dos guardas-noturnos do museu prestes a se aposentarem.

Também atuou em O Demolidor (1993) e The Wonders (1996). No filme de fantasia Oz: O Mágico Poderoso (2013), trabalhou ao lado de James Franco, Michelle Williams e Rachel Weisz, como Mestre Tinker.

Foto: Reprodução / IMDB Fonte: GZH

Fonte: Rádio Blau Nunes

Continue lendo