Campanha para incentivar a doação de sangue é lançada no Rio Grande do Sul

0
23

Em parceria, a SES (Secretaria Estadual da Saúde) e a empresa Otelio Consultoria lançaram, no último sábado (12), a campanha de doação de sangue Doar é Viver para incentivar a reposição de estoques de sangue em toda a rede pública de Hemorrede (hemocentros do Rio Grande do Sul).

Os estoques de sangue estão “críticos” em todas as regiões do Estado, de acordo com a a coordenadora de captação do Hemorgs (Hemocentro do Estado do RS), Gesiane Ferreira Almansa, especialmente os tipos O+ e O-. “Como atendemos muitos hospitais, temos dificuldade de suprir a demanda por hemocomponentes, por causa da baixa oferta de candidatos a doação”, completa a coordenadora.

Integram a Hemorrede oito instituições, nos municípios de Porto Alegre, Passo Fundo, Santa Rosa, Cruz Alta, Caxias do Sul, Alegrete, Santa Maria e Pelotas. A campanha está sendo lançada no mês em que é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue (nesta segunda, 14). “Esperamos sensibilizar a população quanto à necessidade de mantermos sempre os estoques de sangue altos e aumentar a adesão nos hemocentros”, explica Gesiane.

Otelio Drebes, da empresa Otelio Consultoria, parceira da SES, destaca que doar sangue é procedimento simples, mas que ajuda a salvar vidas, e que isso o motiva: “Vim de uma família pobre, de agricultores. Hoje posso ajudar a salvar vidas”, diz o empresário. “Em mais ou menos meia hora, tu podes salvar quatro vidas, ao doar sangue”, completa.

Cada pessoa que for até um dos hemocentros durante o período da campanha ganhará uma semente da árvore moringa, representando a Árvore da Vida, simbologia bíblica para fecundidade e imortalidade. “Quando o doador plantar a sua árvore e acompanhar o crescimento, irá se recordar das vidas que salvou com esse gesto tão simples”, diz Otélio.

Quem quiser doar e tiver dificuldade de chegar ao hemocentro poderá manifestar o interesse por transporte no site da campanha. Os organizadores irão avaliar e tentar ajudar.

Nos últimos meses, em algumas regiões, os estoques atingiram baixos níveis de todos os tipos sanguíneos. Em Porto Alegre, Santa Maria e Passo Fundo, por exemplo, os hemocentros estão com os estoques em níveis críticos, principalmente do sangue tipo O, o mais comum e mais usado.

No Sul do Estado, o Hemocentro Regional de Pelotas chegou a ficar, no início de 2021, com 80% do estoque de sangue abaixo do necessário para suprir a demanda. Mais de 500 cidades e centenas de hospitais irão se beneficiar da campanha.

Fonte: Rede Pampa