Cultivando vida: cultivo de plantas como atividade para promoção de saúde às pessoas da terceira idade

0
69
Cultivando vida: cultivo de plantas como atividade para promoção de saúde às pessoas da terceira idade.

Desde o final do mês de agosto, alguns integrantes do IFFar – Campus Panambi iniciaram a implantação do projeto de extensão “Cultivando Vida” junto aos moradores do Lar de idosos Tabea. O objetivo do projeto é proporcionar aos moradores do Lar atividades relacionadas ao cultivo de plantas, sejam elas ornamentais, hortícolas, condimentares ou aromáticas, com o intuito de melhorar sua autoestima, felicidade e bem-estar. A escolha do público para implantação do projeto deu-se pelo fato de que muitos dos moradores do lar, antes de estarem nesse espaço, já tinham o hábito de realizar atividades relacionadas com diversos cultivos, sejam eles relacionados a plantas ornamentais ou olerícolas.

Para possibilitar a participação de todos os moradores, as atividades de plantio priorizam o cultivo em vasos, permitindo o envolvimento daqueles que possuem algum tipo de limitação de movimento. Nesse sentido, a proposta inicial é centrada no cultivo de plantas ornamentais que sejam de fácil manuseio e manutenção, tais como as diferentes espécies de suculentas. E, a fim de atender a maioria das preferências e evitar a exclusão daqueles que não gostam do cultivo de plantas ornamentais, será proposto o cultivo de plantas em uma mini horta vertical, além da montagem de uma pequena hidroponia.  Ainda, cabe destacar que os idosos possuem participação ativa nas atividades de escolha da espécies a serem plantadas, assim como em todas as etapas de cultivo, manuseio e cuidado com as plantas.

Recentemente o projeto “Inteligência Emocional”, outro projeto de extensão do IFFar, integrou-se ao Cultivando Vida, “no intuito de agregar mais possibilidades para o desenvolvimento dos encontros, bem como proporcionar aos idosos a interação entre eles e a equipe, além de resgatar emoções que lhes tragam boas lembranças”, pontua Maria Elisa Ullmann dos Santos que, juntamente com Odair Dal’Agnol, coordena o projeto. A aluna Elisangela Caetano, do curso Técnico em Controle Ambiental, atua como bolsista.

Todos os registros foram enviados pela direção do Lar Tabea, que também autorizou a divulgação das imagens.

Fonte: IFFar – Campus Panambi