Desapropriação e compra da antiga Kepler Weber pelo município é tema de audiência pública na Câmara de Vereadores

0
185

Na próxima terça-feira (21), às 18h, a Câmara de Vereadores de Panambi realiza uma audiência pública para debater o destino da antiga Kepler Weber, localizada no centro do município. Toda a comunidade está convidada a participar.

Entram em debate dos projetos de lei do Executivo. O primeiro, número 101/2021, que autoriza a administração municipal a proceder com a desapropriação de imóvel, de 25.231,05 metros quadrados,  “por utilidade pública e interesse social”, conforme o documento.

Também será debatido o projeto 102/2021, que autoriza a abertura de crédito adicional especial no orçamento de 2021 de R$ 5 milhões para a aquisição do imóvel.

A audiência será transmitida ao vivo pelas redes sociais da Câmara de Vereadores, com a possibilidade de enviar comentários e sugestões. Para seguir todos os protocolos de prevenção à pandemia, é necessário confirmar a presença pelo telefone 3375-3948.

Saiba mais

Com a compra da antiga Kepler Weber, a administração municipal poderá concentrar todos os serviços públicos em um único lugar, o que não é possível no momento já que o Centro Administrativo Miguel Schmitt-Prym não consegue comportar todas as secretarias e repartições do município. “Não há no Município de Panambi outro espaço capaz de comportar toda a estrutura da Administração Pública Municipal”, afirma o prefeito Daniel Hinnah na justificativa do projeto.

Além disso, conforme o Poder Público, a mudança para o novo espaço reduziria despesas com aluguéis de imóveis. O prédio onde funciona a Secretaria Municipal da Saúde, por exemplo, geral um custo mensal de R$ 10 mil. Já o antiga prédio da Kepler Weber, onde funcionava a estrutura administrativa da empresa, gera uma despesa de R$ 9.191,95 e abriga atualmente a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Ambiental (SDE) além de diversos serviços públicos, desde o Procon, a Sala do Empreendedor, Sine, Turismo, Biblioteca, Oficina de Talentos, entre outros.

Outro ponto importante é o fator ambiental: por possuir uma construção sobre o arroio que existe no espaço, muitas vezes há enchentes naquela área. Deste modo, com a desapropriação, o município pretende revitalizar a área de preservação permanente e evitar novas inundações. Ela também será utilizada como um espaço de lazer público pela comunidade.