Em edição de retomada, Expodireto movimenta R$4,9 bilhões em negócios, alta de 87%

0
72
Foto/Divulgação

A pandemia, a inflação, o desânimo com as perdas da estiagem não tiraram do produtor rural o interesse pela atividade e nem seu empenho em manter a propriedade atualizada com o que há de mais tecnológico. Isto é o que justifica o faturamento total de R$ 4,9 bilhões obtido pela 22ª Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. O resultado foi anunciado pelo presidente da Cotrijal, Nei Manica, em coletiva à imprensa nesta sexta-feira, último dia da feira iniciada no dia 7.  Do montante total, R$ 4,37 bilhões correspondem às intenções de negócio protocoladas junto aos bancos oficiais e de fábrica que estiveram na exposição com linhas de financiamento para máquinas e implementos agrícolas. 

Os números da vigésima segunda edição correspondem a quase o dobro do faturado em 2020, quando a Expodireto alcançou vendas totais de R$ 2,65 bilhões, sendo R$ 2,25 bilhões de intenções de negócios na área de máquinas e implementos agrícolas. As vendas de 2022 sofreram o impacto inflacionário de dois anos de pandemia, onde houve uma alta global de preços que atingiu a economia mundial e aumento dos custos do agronegócio.

Primeira edição com transmissão digital de toda a programação, a Expodireto deste ano teve até o momento o acesso de 2,2 milhões de usuários em 35 mil pontos de visualização do portal expodiretodigital.com.br. O número ainda é parcial, já que as 57 empresas que participam do portal têm a chance de serem visitadas até o dia 7 abril, quando o site sai do ar. A meta da diretoria da Cotrijal é incluir, a partir do ano que vem, todos os cerca de 560 expositores da feira na vitrine virtual. 

O público que visitou o Parque de Exposições da Cotrijal durante a semana chegou a 256 mil pessoas, o mesmo que foi contabilizado em 2020. “Os números de nosso público são mais ou menos estáveis, porque somos uma feira de negócios e, quem vem, vem com este fim”, disse o presidente da Cotrijal, Nei Manica.

Outro destaque deste ano foram os negócios realizados no Pavilhão Internacional, por onde, segundo Manica, passaram mais de 60 países de cinco continentes. “Os países fecharam R$ 62 milhões em negócios”, elogiou. O presidente ressaltou que fazer a Expodireto 2022 foi um desafio, mas amparado pelos parceiros e pelo governo do Estado. Lembrou ainda que, desde o início do evento, insistiu que o produtor comparecesse e foi atendido. “Os problemas a gente resolve depois”, encerrou.

Manica também informou a data da próxima edição da Expodireto: será de 6 a 10 de março de 2023.

Agricultura familiar

Superando todas as expectativas, a Feira de Agricultura Familiar bateu seu recorde em Expodireto. Com vendas de R$ 315 mil por dia, o ponto de exposição dos produtos coloniais de mais de 190 agroindústrias da região somou R$ 1,7 milhão em alimentos, bebidas, flores e artesanato. Ainda no começo da tarde de sexta-feira, os expositores estavam com os estoques terminando.  Organizada pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag), Cotrijal, Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf-RS), Emater e Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seadpr), a feira de produtos coloniais havia faturado R$ 1,169 milhão na edição de 2020. A Fetag havia estimado na quinta-feira um crescimento de 20% sobre este valor, projeção excedida em cerca de R$ 300 mil. 

Fonte: Correio do Povo