Estado não se omitirá se houver perda de controle em nível regional, afirma governador

0
235

Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (24), o Governador Eduardo Leite falou sobre a situação da Região Covid de Ijuí (R13) após questionamento da SB Comunicações.

A reportagem perguntou se o Governo do Estado pretende tomar uma atitude diante do momento que os vinte municípios que formam a R13 – incluindo Panambi e Condor – enfrentam atualmente.

Na quarta-feira (23), o Gabinete de Crise decidiu manter o alerta para a região – uma das primeiras a receber.

A gente tem pedido para fazer o seguinte: cada uma das regiões nós observamos os dados e informações, fazemos o aviso, fazemos o alerta, partimos para uma reunião com as prefeituras das regiões. para justamente conscientizar e chamar a atenção. A gente precisa das prefeituras engajadas neste processo. E a gente fez um ciclo de reuniões com as prefeituras das diversas regiões em situação de alerta, que mais preocupam, inclusive a de Ijuí“, iniciou o governador.

Se houver algum tipo situação que demonstre perda do controle em nível regional, o Estado não se omitirá. Nós vamos continuar sempre procurando solução convergente, com consenso e diálogo com a região. Mas, se houver alguma sinalização de piora da situação e falta de ação em nível regional, o estado pode sim entrar em ação e fazer um decreto específico regionalmente.

Em seguida, a Secretária Estadual da Saúde, Arita Bergman, fez uma análise sobre a situação de Ijuí e reforçou que há diálogo entre o Gabinete de Crise e o Comitê Técnico da Região R13, atualmente coordenada pelo prefeito de Panambi, Daniel Hinnah.

A região de Ijuí, em conjunto com Cruz Alta, Santo Ângelo, Santa Rosa, que é a região missioneira, já nos reunimos e houve um chamamento para todos os prefeitos, porque cada uma delas tem um comitê técnico regional, que é quem elabora o Plano de Ação regional. E, neste plano, que o GT de Saúde monitora para verificar se o que consta no documento relativo aos protocolos mais restritivos foram ou não aplicados. Inclusive, na reunião que fizemos, chamamos a atenção à necessidade de fiscalização.

Bergman também afirmou que os resultados das ações propostas pela região podem demorar alguns dias para surtir o efeito necessário.

Estamos observando uma certa estabilização na macro missioneira. Em Santa Rosa, por exemplo, dá sinais positivos. Em Ijuí há uma certa estabilidade em relação à ocupação de leitos de UTI. O importante é que os protocolos sejam mais restritivos. E aí a área de comunicação pode nos ajudar muito nesta divulgação. Na última reunião que tivemos houve uma demonstração de que o comprometimento dos prefeitos era positivo. Agora, o resultado demora alguns dias para aparecer os efeitos. Estamos monitorando, estamos acompanhando e estamos à disposição da região se preciso para darmos a orientação técnica necessária, porque temos que fazer parar a transmissão do vírus, que é a consequência, se não parar, de ocupação de leitos e de mais óbitos, que é o que nós não queremos.

Por fim, o diretor do Departamento de Economia e Estatística (DEE) da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), Pedro Zuanazzi, reforçou que os indicadores podem estar melhorando.

Houve um retorno positivo da reunião com a região, mas que um sinal de melhora do quadro da pandemia é a redução de internados em leitos clínicos. O que a gente percebe sempre nas regiões é que primeiro se tem uma redução em leitos clínicos para depois se reduzir nas UTI’s. E na região de Ijuí particularmente essa redução já começou e está bem forte. A gente tem uma expectativa de que possa melhorar as UTI’s nas próximas semanas.

Orientação

Conforme o último relatório da Região Covid de Ijuí (R13), datado do dia 22 de junho, o Gabinete de Crise decidiu manter o alerta.

A deliberação de Manter o alerta à Região está justificada por fatores regionais e macrorregionais. Observou-se, nesta data, a
identificação de fatores que demonstram a necessidade de redobrar a atenção para o quadro da pandemia com possível adoção de
medidas para modificação do quadro ora avaliado
“, consta no documento.

Entre os principais pontos para esta decisão, estão:

  • Casos

A Região de Ijuí – R13, apresentou incidência de novos casos de 496,3 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, representando um redução de -11,8% frente à semana anterior. Apesar da queda, trata-se da 2ª maior incidência no estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 65,3% superior à média estadual.

  • Mortes

Além disso, a R13 apresentou taxa de mortalidade acumulada na semana de 8,29 óbitos por 100 mil habitantes na última semana, o que representa uma redução de -13,6% em comparação à semana anterior. Porém, esta taxa de mortalidade é a 6ª maior do Estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, além de ser 34,1% superior à média estadual.

  • Ocupação de UTI
    Ao longo da última semana, a região apresentou um aumento de 14,3% internados em UTI, entre suspeitos e confirmados, o que de acordo com o relatório representa uma variação de 6 pacientes. Com isso, a região possui 48 internados por Covid-19 em UTIs e taxa de ocupação de 95,9%, com 3 leitos livres.

Diante dos indicadores, o Gabinete de Crise, optou pela continuidade do alerta para a região adotar providências com medidas para redução dos números. Entre as ações indicadas, estão:

  • reforço nas campanhas de comunicação local com orientação sobre uso orientação correto de máscara, distanciamento e ventilação;
  • orientação da vigilância em saúde para que estabelecimentos realizem busca ativa de funcionários com sintomas de síndrome gripal e encaminhamento de casos suspeitos para testagem adequada;
  • ampliação da disponibilidade e de locais de testagem;
  • orientação da vigilância em saúde para que estabelecimentos e a população em geral garantam e respeitem o isolamento dos suspeitos e confirmados;
  • manutenção da vacinação com fortalecimento da completude do esquema vacinal (incluindo a busca ativa de cidadãos e reforço da comunicação para aplicação da segunda dose);
  • forte ação de fiscalização não só de aglomerações, mas também do cumprimento dos protocolos mínimos obrigatórios, especialmente de lotação dos estabelecimentos, em diálogo com a população e o empresariado local.

Confira o momento em que o Governador Eduardo Leite e sua equipe respondem a pergunta da SB Comunicações: