Fiocruz confirma mais quatro casos da variante delta no Rio Grande do Sul

0
121
Várias partículas virais de Sars-CoV-2 (pontos escuros) aderidas à membrana da célula. Registro do momento exato em que uma célula é infectada pelo novo coronavírus, obtido durante estudo que investiga a replicação viral do Sars-CoV-2 realizado pelos Laboratório de Morfologia e Morfogênese Viral e Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo, Instituto Oswaldo Cruz.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro, confirmou por sequenciamento genético completo mais quatro casos da variante delta do coronavírus no Rio Grande do Sul. Eles se referem a residentes de Alvorada, Esteio, Sapucaia do Sul e São José dos Ausentes e todos já se encontram curados. A informação foi recebida nesta terça-feira (10/8) pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs).

Com essas confirmações, o Estado tem 15 casos da linhagem e mais 49 amostras prováveis, aguardando confirmação da Fiocruz, que tiveram resultado positivo em sequenciamento genético parcial realizado pelo Cevs.

Conforme o especialista em saúde Richard Steiner Salvato, do Cevs, a linhagem delta está apresentando uma rápida disseminação no Estado, mas menor do que o verificado em outros países. “O que chama atenção, no momento, é a identificação em cidades diferentes”, explicou.

“Temos uma nova variante muito mais transmissível circulando no Estado. Mesmo pessoas sem sintomas ou com sintomas muito leves podem estar disseminando o vírus”, alertou a diretora do Cevs, Cynthia Molina Bastos. “É preciso continuar tomando todas as medidas de cuidado, evitar ambientes fechados e com muitas pessoas. E quem apresentar sintomas deve buscar a testagem.”

Casos no RS

O Rio Grande do Sul é o único Estado brasileiro a realizar sequenciamento parcial na vigilância genômica para a identificação de prováveis variantes de preocupação (VOC, variants of concern na sigla em inglês), que são aquelas mutações genéticas que podem trazer alguma mudança no comportamento do vírus. Após essa primeira identificação, as amostras seguem para um sequenciamento genômico completo, que fornece detalhes do perfil de mutações e classifica com precisão a linhagem de cada amostra. Porém, de acordo com Salvato, os testes realizados no Estado têm alta precisão e pouca probabilidade de erro, sendo suficientes, no atual momento, para identificar as variantes de preocupação circulantes, apesar da necessidade técnica do sequenciamento completo.

Onde estão os casos confirmados

Alvorada, Gramado, Esteio, Canoas, Sapucaia do Sul, Santana do Livramento, Nova Bassano e São José dos Ausentes.

Onde estão os casos identificados por sequenciamento parcial que aguardam confirmação da Fiocruz

Alvorada, Bom Retiro do Sul, Cachoeirinha, Canela, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Esteio, Gramado, Guaíba, Montenegro, Novo Hamburgo, Paraí, Passo Fundo, Porto Alegre, Santo Ângelo, São Leopoldo, Sapucaia Do Sul, Triunfo e Viamão.

• Acompanhe as informações sobre o registro de variantes do coronavírus no painel de vigilância genômica da Secretaria da Saúde (SES).

Fonte: Governo Rio Grande do Sul