Homem confessa que matou namorada e escondeu o corpo no norte gaúcho

0
139

Foi localizado na manhã deste sábado (25), o homem suspeito do desaparecimento da passo-fundense Cleusa Souza da Silva, moradora do bairro Planaltina. Ele seria o namorado da vítima. Apos ter sido localizado o homem confessou o crime e levou os policiais até o corpo.

Localização do suspeito:

O homem foi localizado em um condomínio onde prestava serviço de vigia. A localização se deu através da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Passo Fundo, coordenada pela Delegada Daniela de Oliveira Mineto e pelo chefe de investigações Comissário Volmar Menegon, por volta das 06hs.

O homem identificado como Cláudio Albano do Santos, 49 anos, confessou o crime e indicou aos agentes da DHPP aonde estava o corpo de Cleusa.

A principal motivação do crime é o ciúmes.

Somente restos mortais

As equipes então, coordenadas pelo Comissário Volmar Menegon e o Delegado Plantonista da DPPA (Pronto Atendimento), Fábio Miguez, foram até a divisa do município de Mato Castelhano com Gentil, em um local de difícil acesso, na localidade do Campo do Meio, onde encontraram restos mortais.

Cláudio disse que matou a vítima mas negou ter ateado fogo no corpo. Ao contrário do que diz o corpo estava carbonizado dando para identificar apenas a ossada do crânio e do quadril.

Segundo o próprio réu confesso, ele matou a Cleusa asfixiada ainda na residência dele em Passo Fundo, e após, levou o corpo para o interior em Mato Castelhano.

A prisão do réu confesso:

Ele foi preso e conduzido para Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Ele foi recolhido ao Presídio Regional de Passo Fundo. Após ter confessado e mostrado o local foi orientado pelo seu advogado a se manter calado.

O desaparecimento:

Na quarta-feira (15) deste mês, Cleusa havia saído de casa para tomar uma injeção anticoncepcional na Unidade Básica de Saúde do Bairro Bom Jesus. Ela chegou, tomou a injeção e saiu de forma rápida. A reportagem policial da Rádio Uirapuru esteve na UBS, e em conversa com funcionários do local, eles disseram que Cleusa apresentava um nervosismo excessivo, fora do normal. “Cleusa sempre foi comunicativa, chegava e conversava com todo mundo” relata uma profissional da UBS.

O trabalho do Instituto Geral de Perícias, vai determinar as causas da morte (se comprovam conforme ele relatou) e se teve algo mais antes de Cláudio carbonizar o corpo.

Namorado:

Cleusa mantinha um relacionamento com Cláudio. Quando ela desapareceu a família fez contato telefônico com ele, e este relatou que não tinha nada a ver com o desaparecimento. Após, desabilitou o telefone.

Os agentes da Polícia Civil foram até a residência do homem e constataram que ele não estava.

A Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) de Passo Fundo investiga o caso.

Foto: RD Foco/Foto: Divulgação