Homem preso por estupro de seis meninas em Gramado era investigado em outros dois casos

0
58

O homem de 49 anos preso em flagrante pelo estupro de seis meninas em Gramado, na sexta-feira (1º), é investigado também em ao menos outros dois inquéritos abertos na delegacia do município. Nesses casos, as vítimas também eram crianças e adolescentes. O abusos teriam ocorrido de forma semelhante ao registrado na semana passada, segundo a Polícia Civil. O nome dele não foi divulgado.

Na sexta, o homem foi preso após passar a mão e apalpar seis meninas, com idades de 11 e 12 anos, em um dos pontos turísticos mais conhecidos de Gramado, o Lago Negro. As vítimas estavam em uma excursão que visitava a serra gaúcha.

De acordo com o delegado de Gramado, Gustavo Barcellos, o homem é um autônomo que se veste como o personagem Jack Sparrow, do filme Piratas do Caribe, para fazer fotos com turistas no local. Segundo a investigação, na sexta, ele teria se aproveitado do momento em que as vítimas se aproximaram para fazer as fotos para cometer os abusos.
Os casos anteriores teriam ocorrido de forma semelhante. A Polícia Civil não informou se as investigações foram concluídas e se houve indiciamento. Um dos procedimentos seria de 2019.

— Já existem ao menos dois procedimentos em andamento de suspeitas de atos parecidos em Gramado. Nesses casos, não houve o flagrante, mas seria no mesmo contexto, em ponto turístico e contra jovens. O histórico dele será apurado e iremos verificar também se existem ocorrências em outras cidades — diz o delegado.

O homem é natural do Estado de São Paulo. O caso de sexta, que resultou na prisão, foi descoberto depois que duas vítimas começaram a chorar durante o passeio.

— Ele estava fazendo isso de forma discreta. Só veio a tona quando duas meninas, que já estavam na fila do ônibus para sair daquele local, começaram a chorar. Uma professora foi ver o que estavam acontecendo e elas afirmaram que o homem havia abusado delas e de outras. Nesse momento, as demais vítimas também conseguiram falar sobre o acontecido. — explica Barcellos.

Uma guarnição da Brigada Militar, que estava próxima do local, foi acionada pelas professoras. O homem foi preso e encaminhado ao presídio de Canela. As seis vítimas serão encaminhadas a avaliação psíquica.

— Ele apertava, apalpava, dava tapas na bunda. Em uma delas, apertou também o seio. Chegou a dizer a uma das vítimas que iria se apaixonar. No nosso entendimento, os atos abusivos que ali ocorreram configuram estupro devulnerável. Felizmente, elas conseguiram relatar o ocorrido. Duas estavam bem abaladas — diz o delegado.

Em depoimento na delegacia, o homem permaneceu em silêncio e se negou a assinar os documentos que registraram o flagrante, segundo o delegado. O inquérito segue em andamento.

Fonte: GZH