Homicídios no RS têm queda de 18,3% em setembro

0
34

Além de registrar queda recorde no número de roubo de veículos, a Segurança Pública também alcançou redução inédita dos homicídios em setembro. O total no RS caiu de 126 no ano passado para 103 (-18,3%), o menor para o mês em toda a série histórica – o sistema de contabilização permite extrair o número de vítimas no Estado em separado do de ocorrências a partir de 2005.

Com o resultado, foi mantida a diminuição no acumulado deste ano frente ao mesmo período de 2019. Na soma de vítimas entre janeiro e setembro, o total reduziu de 1.380 no ano passado para 1.281 neste ano (-7,2%), o menor número desde 2007, que teve 1.271 óbitos por assassinato no intervalo de nove meses.

Gráfico de barras com números de Vítimas de homicídio no RS em setembro entre 2005 e 2020. Mostra queda de 126 em 2019 para 103 em 2020, o menor total para o mês em toda a série histórica.
Gráfico de barras com números de Vítimas de homicídio no RS entre janeiro e setembro entre 2005 e 2020. Mostra queda de 1.380 em 2019 para 1.281 em 2020 (-7,2%), o menor total para o período desde 2007, que teve 1.271 vítimas.

O foco territorial no combate à criminalidade, estratégia empregada pelo RS Seguro, segue como principal fator para a queda nos homicídios. Todo o ranking das 10 maiores reduções em número de vítimas na comparação de acumulados deste ano e do anterior é ocupado por municípios que integram o grupo de 23 cidades priorizadas pelo programa.

Tabela com ranking das 10 maiores reduções de homicídios entre janeiro e setembro de 2019 contra 2020. Porto Alegre lidera com 31 vítimas a menos, seguida de Pelotas (-27), Gravataí (-23), Bento Gonçalves (-19), Canoas e Tramandaí (-13), mais 4 cidades.

Além disso, seis cidades das 23 priorizadas para a análise mensal da GESeg encerraram setembro com zero homicídios registrados: Cachoeirinha, Ijuí, Lajeado, Sapucaia do Sul, Tramandaí e Capão da Canoa – neste último município, completaram-se dois meses consecutivos sem nenhuma vítima de assassinato.

Feminicídios têm queda pelo quinto mês consecutivo

O reforço nas campanhas de conscientização e canais de denúncia, além da intensificação nas ações de repressão pelas forças de segurança, resultaram em queda nos feminicídios no RS pelo quinto mês consecutivo. Foram seis vítimas em setembro deste ano contra sete no mesmo intervalo de 2019 (-14%) – o número atual repete 2014, com a menor marca da série histórica. Com isso, o acumulado de mulheres assassinadas em razão do gênero desde janeiro de 2020 segue abaixo do registrado em igual período do ano anterior: passou de 70 para 63 vítimas (-10%).

Gráfico com números de Feminicídios em setembro no RS, entre 2012 e 2020. Mostra queda de 7 vítimas em 2019 para seis em 2020 (-14%).
Gráfico de barras com números de feminicídios entre janeiro e setembro no RS, entre 2012 e 2020. Mostra queda de 70 vítimas em 2019 para 63 em 2020 (-10%).

O cenário também é de retração ou estabilidade no comparativo de acumulados em nove meses de 2019 e 2020 entre os outros quatro indicadores de violência contra a mulher monitorados pela SSP: ameaças (-13,1%), lesões corporais (-10,1%), estupros (-1,6%) e tentativas de feminicídios (-0,8%).

Gráficos de barras com números de indicadores de Violência contra a mulher no RS entre janeiro e setembro em 2019 e 2020. Ameaça caiu de 27.987 para 24.307, lesões de 15.179 para 13.649, estupros de 1.259 para 1.239 e tentativas de feminicídio de 246 a 24

Na leitura isolada de setembro, houve queda entre as ameaças (-24,3%), as lesões corporais
(-16,4%) e os estupros (-28,2%). Ponto fora da curva foram as tentativas de feminicídio no mês, que dobraram de 14 para 30 (114,3%). O dado reforça que a sociedade não deve relaxar no papel ativo de proteção às mulheres, denunciando imediatamente qualquer forma de agressão ou abuso. Familiares, amigos, vizinhos e até mesmo desconhecidos podem, e devem, fazer denúncia. A tentativa de feminicídio é o ponto final de um ciclo de violência que, se revelado antes, permite às autoridades adotar medidas preventivas para salvar a vida das vítimas e prender os agressores.

Gráficos de barras com números de indicadores de Violência contra a mulher no RS entre janeiro e setembro em 2019 e 2020. Ameaça caiu de 27.987 para 24.307, lesões de 15.179 para 13.649, estupros de 1.259 para 1.239 e tentativas de feminicídio de 246 a 24

Além do 190 da Brigada Militar e do 197 da Polícia Civil, telefones para acionamento em emergências, suspeitas sobre abusos e agressões podem ser notificadas às polícias pelo Disque Denúncia 181, pelo Denúncia Digital, no site da SSP, ou pelo WhatsApp da Polícia Civil: (51) 98444-0606. Em todos os casos, o anonimato é garantido.

Latrocínios acumulam queda de 10,5% no RS

Outro crime contra a vida que acumula redução é o latrocínio. Entre janeiro e setembro de 2019, houve 57 roubos com morte em todo o Estado, enquanto o mesmo período deste ano registrou 51 casos – uma queda de 10,5%. O total atual é o menor para o intervalo de nove meses desde 2009, que teve 45 ocorrências do tipo.

Gráfico de barras com números de latrocínios no RS entre janeiro e setembro, entre 2002 e 2020. Mostra queda de 57 casos em 2019 para 51 em 2020 (-10,5), o menor total para o período desde 2009, que teve 45 casos.
Gráfico de barras com números de Latrocínios em setembro no RS entre 2002 e 2020. Mostra que 2020 teve um caso a mais do que 2019, passando de 4 para 5. Total ainda segue abaixo dos níveis de oito anos atrás.

Em setembro, houve um latrocínio a mais do que no mesmo mês do ano passado: de quatro para cinco casos. Ainda assim, o número se mantém abaixo do patamar de 2011, ano em que houve sete ocorrências e a partir do qual teve início a escalada de roubos com morte que se manteve até 2018.