IBGE atrasa pagamento de 44 mil recenseadores no país

0
26

Pelos cinco dias à disposição do órgão para treinamento, cada pessoa que atua em municípios com mais de 100 mil habitantes deveria ter recebido R$ 200.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) emitiu comunicado em que reconhece atraso no pagamento da ajuda de custo de quase um terço dos trabalhadores já treinados para o Censo 2022. São 44 mil profissionais com valores não pagos, em um universo de 158 mil pessoas qualificadas até sexta-feira (5).  

O IBGE não especifica o tempo de atraso nos pagamentos, contudo, o treinamento ocorreu de 18 a 22 de julho, conforme edital divulgado no site do órgão. Em outra página oficial do órgão, a carga horária das aulas é detalhada: oito horas por dia, durante cinco dias, em 10 mil salas de aula espalhadas pelo país. Quem foi selecionado para visitar indígenas e quilombolas teve um dia extra de capacitação. 

Pelos cinco dias à disposição do órgão, cada pessoa que atua em municípios com mais de 100 mil habitantes deveria receber R$ 200. Nas cidades com população abaixo dessa linha de corte, a diária cai pela metade. 

A confirmação de pendência no pagamento a 28% do público treinado foi publicada no perfil @ibgeoficial no Instagram. Na manhã deste sábado (6), menos de 24 horas após a publicação, o número de comentários se aproximava de 900. Em sua maioria, pessoas que estão na mesma situação. “Até agora nem 80 (reais), nem 120 ou 200, tô desanimando, porque as contas não esperam”, respondeu uma das pessoas. “Sou um dos 44 mil a espera”, publicou outro. Alguns ameaçam desistir do projeto, por temor da inadimplência.

Na postagem, há reclamações de profissionais do Rio Grande do Sul.

— Era para ser pago R$ 40 por dia. Vou aguardar essa promessa de colocarem em dia até a semana que vem — afirmou um contratado, que pediu para não ser identificado e informou  que os trabalhadores teriam sido avisados de que o recebimento da ajuda de custo ocorreria cinco dias após o treinamento.

Em um grupo do Facebook que reúne recenseadores do RS, parte afirma ter recebido apenas parcialmente, enquanto outros integram a lista dos que não tiveram nenhum valor pago até este sábado. Uma enquete na rede social questionava quantas pessoas haviam recebido “tudo”, “apenas uma parte” ou “nada ainda”. Sem receber nada, responderam 54% dos participantes. Outros 35% afirmaram ter recebido tudo, e 10%, uma parte.

Instituto promete depósitos a partir de segunda-feira

A demora é justificada pelo “grande volume de dados pessoais dos recenseadores cadastrados no sistema”, de acordo com o IBGE. Essas informações foram “processadas em um curto espaço de tempo, gerando lentidão no pagamento dos valores”, detalha a nota oficial. 

A promessa é realizar os depósitos até a próxima semana, a partir de segunda-feira (8). O instituto garante que o atraso não se repetirá nas próximas etapas do Censo e que o orçamento para realização, até o fim, está garantido. 

O levantamento se iniciou no dia 1º de agosto e vai até 31 de outubro, prorrogável caso haja dificuldade em finalizar a pesquisa, que mira em 75 milhões de domicílios no Brasil.  

Prestar informações aos agentes é obrigatório por lei, e importante para traçar um perfil da população. Os dados servirão de base para identificar problemas sociais e econômicos dos brasileiros.

O servidor pode ser identificado pela roupa: boné azul com o emblema “Censo 2022”,  colete do IBGE e crachá com QR Code. Caso o cidadão queira, ainda pode acessar este link para confirmar que aquele é um recenseador oficial, digitando matrícula, CPF ou RG do trabalhador. 

Fonte: Clic RBS