Menos de 20% das crianças de 5 a 11 anos no Brasil se vacinaram contra a Covid-19

0
98
Getty Images/Ivan Pantic

Apenas 18,8% das crianças de 5 a 11 anos no Brasil receberam a primeira dose do imunizante contra a Covid-19 até o momento. São pouco mais de 3,7 milhões de imunizados até esta segunda (7), de um total de cerca de 20 milhões de crianças nessa faixa etária.

A maioria dos estados brasileiros não conseguiu vacinar nem 15% das crianças até agora. Proporcionalmente, os estados que menos vacinaram as crianças até agora são Paraíba (1,8%), Pará (1,9%) e Mato Grosso (2,0%).

Do outro lado, os estados que mais vacinaram essa faixa etária até o momento são São Paulo (48,0%), Distrito Federal (30%) e Rio Grande do Norte (22,6%).

Alguns estados alegaram uma desatualização dos dados uma vez que alguns municípios estão com dificuldade em inserir os números no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações. É o caso de Rio de Janeiro, Goiás e Paraíba. Segundo essas secretarias de Saúde, o número real de vacinados deve ser maior do que o contabilizado até o momento por conta dessa dificuldade de acesso ao sistema do Ministério da Saúde.

O pediatra infectologista Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de imunizações (SBIm), afirma que o número preocupa, mas que também existe uma subnotificação dos dados.

“Tem estados e municípios que não têm gente para registrar as doses aplicadas. Ou vacina, ou registra”, diz.

Segundo o médico, outro fator que impacta nos baixos índices até o momento é o fato das doses terem demorado a chegar em muitos estados e municípios, uma vez que só havia disponibilidade da vacina da Pfizer.

“Vamos ver agora com mais disponibilidade de CoronaVac se isso sobe. Creio que os números vão crescer bastante nas próximas semanas”, afirma Kfouri.

Vacinação infantil no Brasil

O Ministério da Saúde anunciou a inclusão das crianças de 5 a 11 anos no Plano de Vacinação contra a Covid-19 no dia 5 de janeiro. O Estado de São Paulo foi o primeiro a dar início à vacinação, no dia 14 do mesmo mês. Pelo menos 15 estados começaram a vacinação em 15 de janeiro.

A pasta encomendou, até o momento, 20 milhões de doses da vacina pediátrica da Pfizer e outras 10 milhões da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan.

Para aqueles imunizados com a Pfizer, o intervalo entre a primeira e a segunda doses deve ser de oito semanas. Já no caso da CoronaVac o intervalo é menor — de 28 dias.

Em todo o país, segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 1.400 crianças de 0 a 11 anos morreram por conta da Covid-19. Além disso, cerca de 2.500 desenvolveram a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) associada à doença. São casos em que, após ter Covid-19, a criança desenvolve um quadro inflamatório, com sintomas graves, que podem, inclusive, levar a óbito.

Fonte: G1