MP investiga show de Gusttavo Lima com contrato de R$ 800 mil em cidade de 8 mil habitantes

0
116

A contratação do cantor Gusttavo Lima pela prefeitura de São Luiz, o menor município de Roraima, por R$ 800 mil, é alvo de investigação pelo Ministério Público de Roraima (MPRR). A cidade tem uma população estimada em cerca de 8 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Assim, dividindo o valor do cachê, daria R$ 100 por cada pessoa que vive na região, incluindo adultos e crianças.

O show deve ocorrer em dezembro, na 24ª edição da vaquejada na cidade. Além de Gusttavo Lima, se apresentam na festa a dupla Cesar Menotti e Fabiano e a cantora Solange Almeida. São Luiz tem um PIB de R$ 147,6 milhões, o segundo mais baixo do estado, ficando atrás apenas de Uiramutã.

A contratação do cantor pela prefeitura da cidade repercutiu nas redes sociais.

A publicação tem cerca de 10 mil compartilhamentos e mais de 50 mil curtidas entre os usuários de todo o país. Entre os comentários, alguns indagam “a cidade não deve ter um problema pra resolver pra ficar jogando dinheiro fora desse jeito” e também “será que Deus gosta de quem tira dos pobres? Família acima só se for a minha”.

A diferença entre a contratação por pequenas prefeituras e a Lei Rouanet entrou em discussão nas redes sociais após o sertanejo Zé Neto criticar a lei e “alfinetar” a cantora Anitta em um show que custou R$ 400 mil à prefeitura de Sorriso (MT).

Quando o contrato foi confirmado, em março deste ano, o prefeito da cidade, James Batista, afirmou que o intuito do show era atrair o público de todo o estado.Segundo ele, estima-se um público de 50 mil pessoas no show de Gusttavo Lima. Já a vaquejada terá três dias e devem comparecer, ao todo, 100 mil pessoas no evento.“É um evento grandioso. A gente sabia que ia dar uma repercussão imensa e a ideia era exatamente essa. A gente quer atrair o estado de Roraima inteiro para dentro de São Luiz”, afirmou ele ao G1 em março.

“As pessoas vão se chocar. O estado vai estar assombrado, vai ficar assombrado com o que vai encontrar, com o que vai presenciar em São Luiz, o processo de transformação e da infraestrutura da cidade para receber as pessoas”, continuou.

O MPRR informou ao g1 que solicitou informações ao município, por meio da Promotoria de São Luiz, sobre como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para os moradores. O MP não informou quando foi instaurada a investigação, mas disse que a prefeitura recebeu um prazo de dez dias para enviar resposta.

Fonte: g1.com