“Os três caminhos para o enfrentamento da pandemia são: vacinar, vacinar e vacinar”, afirma deputado Pedro Westphalen

Em entrevista à SB Comunicações, o deputado federal Pedro Westphalen (PP) apresentou à comunidade panambiense as ações do Congresso Nacional no combate à pandemia do coronavírus.

Membro da Comissão Externa do Coronavírus da Câmara dos Deputados, o cruzaltense iniciou a entrevista ressaltado que o mundo inteiro vive um dos momentos mais difíceis desde a sua existência. “Nos últimos cem anos não tivemos nada parecido”, afirmou no programa Panorama Geral.

“Houve um esgotamento da rede hospitalar do Rio Grande do Sul. Nós temos grandes filas de esperas nas UTIs.
E o mais preocupante é que essa é uma nova pandemia, com muito mais gravidade que a outra, com muito mais letalidade. A grande condição que nós temos que ter é procurar imediatamente o serviço médico para não chegar na UTI. Nós temos que ter UTI, respirador, mas nós temos que enfrentar problema da falta de medicamento. Fiquei três dias sem dormir semana passada porque não tínhamos medicamento para fazer anestesia para intubar um paciente”, relata. “Tínhamos que tomar atitudes muito fortes, conseguimos esse medicamentos e estamos conseguindo mais agora.”

Para Westphalen, o Brasil já possui a principal arma para combater a pandemia, que em março teve recorde de casos, mortes e hospitais lotados. “É fundamental nós seguirmos três caminhos que tem para o enfrentamento da pandemia: vacinar, vacinar e vacinar.”

Ele também ressalta que a população precisa se conscientizar e não depender apenas dos governantes, tanto a nível municipal como também federal. “Nós temos que tomarmos as nossas atitudes individuais, de manter os hábitos de higiene, lavar as mãos, usar álcool gel, não aglomerar, usar máscara e não promover aglomeração. E promover aglomeração não é festa de cem pessoas, é não fazer um encontro com cinco ou quatro pessoas famílias diferentes. Ou seja, não pode fazer nesse momento aquele churrasquinho no final de semana.”

Um leão por dia

Entre as ações que contaram com a presença do deputado Pedro Westphalen está a medida provisória 1026/21. Considerada por ele “a mais importante feita no Congresso Nacional”, ela facilita a compra de vacinas e insumos para a continuidade da imunização contra o coronavírus, com a flexibilização de regras para contratos e dispensão de licitação.

“Destravamos uma burocracia brasileira para que o Brasil pudesse comprar qualquer tipo de vacina de qualquer lugar do mundo, aceitando certificação de qualquer certificadora do mundo. Evidentemente, passando pelo crivo da Anvisa, nossa agência de vigilância sanitária que certifica quais vacinas são eficazes e que não causam danos aos pacientes”, explica. A lei foi sancionada no dia 10 de março pelo presidente Jair Bolsonaro.

Tenho certeza que nós vamos conseguir vencer esta batalha. Se cada um fizer a sua parte, nós vamos conseguir. A vacinação tomou um ritmo bom, essa semana vão chegar cinco milhões de doses do Instituto Butantan e mais dois milhões da Fiocruz. Em abril, devemos vacinar mais de 20 milhões de semana. Nós temos que chegar em julho, no inverno, com os grupos essenciais vacinados.”

Westphalen foi autor de um projeto fundamental para garantir a manutenção dos hospitais durante os momentos mais críticos da pandemia. A Lei 13.992 suspendeu temporariamente a exigência de metas estabelecidas entre hospitais e demais instituições que possuem contrato com o Sistema Único de Saúde.

“Salvou a rede de hospitais do país que não iam conseguir cumprir aas metas”, explica o deputado. “Vamos pegar o Hospital de Panambi, por exemplo, vamos dizer que recebe um milhão de reais por mês em contrato com o SUS. Mas ele tem que fazer cirurgia de hérnia, tomografia, ressonância, entre outros. Na pandemia, essas cirurgias eletivas foram canceladas, as pessoas fugiram do hospital, não estão indo. Então, naturalmente, não ia atingir esse um milhão por mês. A lei que nós fizemos garantiu que o Estado pagasse este valor para manter os funcionários, que estão lidando com a Covid-19. Então são leis de grande efetividade com resultados positivos.”

E os trabalhos no Congresso Nacional Continuam. “Cada dia é um leão que se enfrenta”, garantiu.

Hora de mudar o jogo

Questionado sobre os atritos entre governadores e o presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Pedro Westphalen afirmou que é hora de “despolitizar” e “desradicalizar” o debate e focar na busca de soluções .

Colocar a bola no meio do campo, sentar governo federal, estadual e municipal. Ver os acertos que aconteceram, os erros que aconteceram e começar o jogo de novo focando as energias todas no combate à Covid-19. Vamos sentar, conversar e ver onde errou. Todo mundo errou. Esse é um momento de união nacional, de unir oposição e situação e focar toda a energia que nós temos no coronavírus.

Ele lamentou as mortes em decorrência da pandemia que “está levando os nossos amigos e irmãos”. “Está levando os nossos amigos e nossos irmãos. Eu perdi um primo irmão em Cruz Alta querido. Estou com uma tia intubada no Hospital Santa Lúcia. Perdi amigos, o Martim [Zachow], nosso candidato a prefeito, era jovem. Não tem no Brasil hoje quem não tenha perdido um amigo e um familiar.”

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp