Pedidos de seguro-desemprego sobem pelo terceiro mês seguido

0
35

Os pedidos de auxílio-desemprego registraram 494.413 requerimentos em setembro, um aumento de 6% em relação ao mesmo período de 2020. É o terceiro mês consecutivo de crescimento dos requerimentos, o que coincide com o fim do benefício de suspensão e redução de salários e jornada.

No entanto, na comparação do acumulado dos últimos sete meses, houve uma queda de 15,58% em relação a 2020. De janeiro a setembro de 2020, período marcado pelo início da pandemia do coronavírus, foram registrados 5,4 milhões de pedidos ante 4,6 milhões nos primeiros nove meses de 2021.

O Ministério do Trabalho e Previdência afirma que, apesar do término do BEm (Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda), ainda há mais de 2 milhões de empregos com garantia provisória de contrato, além de o nível de utilização do seguro-desemprego estar abaixo de outros anos da série histórica.

Um dos programas para o enfrentamento da pandemia, o BEm, que vigorou até agosto, permitiu que empresas firmassem acordos de redução de jornada e salário ou de suspensão de contratos de trabalho. Foram beneficiados 10 milhões de trabalhadores no ano passado e 2,5 milhões neste ano.

O ministério destaca ainda que o comportamento da utilização do seguro-desemprego reflete o comportamento das demissões no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), cujos números de setembro serão divulgados nesta terça-feira (26). Em agosto, foram criadas 372.265 vagas de trabalho com carteira assinada no país, de acordo com o ministério.

“Neste momento, o número de pedidos do seguro-desemprego reflete o pequeno aumento das demissões. Desempenho esperado em um momento de aquecimento do mercado de trabalho, quando as demissões acompanham o aumento das admissões”, afirma a pasta em nota.

Fonte: Rede Pampa