Polícia Civil prende líder de facção considerado foragido número 1 do estado

0
27

A Polícia Civil, por meio do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa, em ação integrada entre a DPHPP de Gravataí e a 3ª DPHPP de Porto Alegre, com o suporte da Divisão de Inteligência Policial e Análise Criminal do departamento, desencadeou no final da semana passada a Operação “Cidade de Deus”, visando capturar foragido do Estado do Rio Grande do Sul no Estado de Santa Catarina.

Durante a ação realizada no município de Itapema, efetuou-se a prisão do indivíduo, de 38 anos, apontado como principal foragido da Polícia Civil.

Ele estava escondido em um imóvel de alto padrão à beira mar na Meia Praia em Itapema, e fazia uso de um veículo de alto valor comercial, além de estar acompanhado por seguranças durante a abordagem.

O alvo é irmão de um vereador eleito no último pleito eleitoral no município de Cachoeirinha/RS, investigado pelo Ministério Público do RS, sob a suspeita de ter a sua campanha financiada pela facção da qual faz parte o irmão.

O foragido possui mandado de prisão definitiva por furto a estabelecimento bancário, além de possuir dois mandados de prisão preventiva pela prática de homicídios cometidos na cidade de Porto Alegre. Além disso, foi indiciado pela participação no roubo a uma empresa de transporte de valores ocorrido em abril de 2018. Na oportunidade, ao menos cinco funcionários da empresa foram feitos de refém e foram subtraídas armas, coletes balísticos e dinheiro da sede da empresa. Ademais, em processo de delação premiada ocorrido recentemente, esse indivíduo foi apontado como co-autor de outros 11 homicídios que seguem em apuração.

Com relação aos processos de homicídio nos quais ele tem prisão preventiva decretada, o preso é apontado como co-autor da morte de um empresário no ano de 2019, investigado pela 3ªDPHPP. Na oportunidade, a vítima foi executada por pelo menos 10 disparos de arma de fogo que foram efetuados contra o veículo que ocupava e estava estacionado em frente à clínica terapêutica que funciona no imóvel que era proprietário no bairro Anchieta, nesta Capital.

No mesmo sentido, é réu e possui mandado de prisão preventiva em aberto pelo homicídio ocorrido na saída de uma casa noturna na zona norte de Porto Alegre, em abril de 2018. Na ocasião, duas pessoas foram mortas e outras três ficaram feridas em razão dos disparos efetuados contra o veículo que ocupavam na saída da festa. O crime ocorreu nas imediações da igreja Nossa Senhora de Navegantes, em Porto Alegre, fato que foi investigado pela 2ªDPHPP e resultou na Operação Conexão, deflagrada em conjunto com o Departamento Estadual de Investigações Criminais.