Polícia de Santa Catarina se mobiliza para investigar ataque em Criciúma

0
23

Texto: Polícia Civil de Santa Catarina

Desde a madrugada, a Polícia Civil de Santa Catarina e todas as forças de segurança estão mobilizadas em Criciúma na investigação do assalto ao Banco do Brasil em Criciúma.

Por determinação do Delegado Geral Paulo Koerich, estão em Criciúma policiais civis da Delegacia de Roubos e Antissequestro (DRAS) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), sob o comando do Delegado de Polícia Anselmo Cruz, além de outras delegacias da DEIC, da CORE e o reforço mobilizado da região em apoio às forças locais.

Também há contatos e mobilização com as Polícias de outros Estados, como dos Estados do Rio Grande do Sul e Paraná, e com a Secretaria Nacional de Segurança, para a união e integração de esforços na ação policial, no Sul do Estado.

“Nós estamos em Criciúma acompanhando todas as ações policiais. Todas as forças policiais do estado de Santa Catarina estão trabalhando em conjunto para a busca de informações e da identificação dos autores desse crime. Assim como também, nós contamos com o apoio das polícias dos estados vizinhos e de outros estados da federação, além de agências federais que estão auxiliando na busca da autoria deste crime. Nós não toleramos essas ações delituosas no âmbito do estado de Santa Catarina”, afirma o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich.

“Nós iremos trabalhar todos uníssonos na busca de informações que propiciem a identificação dos autores deste crime e para que eles sejam após devidamente identificados sejam responsabilizados na forma da legislação vigente. Temos ações que estão sendo realizadas pela CORE, pelo SAER, pelo CHOQUE, pelo BOPE, pelos PPTs, pela DEIC, e desta forma, somando esforços para que a sociedade catarinense não seja mais assolada com ações desta natureza”, destaca o delegado.

O governador do Estado Carlos Moisés está presente na cidade de Criciúma. 

A polícia encontrou na manhã desta terça-feira (1°) 10 carros utilizados pelos criminosos que assaltaram uma agência do Banco do Brasil em Criciúma. Os veículos estavam em um milharal em Nova Veneza, cidade vizinha.
Segundo o delegado regional Vitor Bianco, os carros utilizados são de “alta potência e grande valor comercial”, de marcas como Audi, Land Rover, BMW, Mitsubishi e Volkswagen.

Alguns tinham placas de São Paulo, mas até a publicação desta reportagem a polícia não sabia se elas eram verdadeiras ou falsas.
Os veículos estavam próximos a um rio, mas, como ele não é navegável, o delegado não acredita que eles tenham fugido por ele. A suspeita é que eles tenham usado outros veículos para continuar a fuga.

O assalto, pela dimensão e violência, é considerado inédito pelos policiais de Santa Catarina.
Cerca de 30 bandidos participaram da ação, armados com fuzis – inclusive um capaz de derruba helicópteros. Duas pessoas ficaram feridas, mas ninguém morreu.

Ninguém havia sido preso até a publicação desta reportagem, e não se sabia quanto foi levado. A suspeita é que os criminosos sejam de fora do estado.
“Não dá para indicar se essa ou aquela facção está envolvida ou não. O que tá envolvido é uma grande organização de criminosos”, disse o delegado. “Nossa região não está acostumada a ver esse tipo de ação de criminosos”