Ucrânia e Rússia iniciam negociações para cessar-fogo; encontro ocorre na Bielorrússia

0
120

Autoridades bielorrussas anunciaram, nesta segunda-feira (28), que estão prontas para sediar as negociações previstas entre Rússia e Ucrânia. Será a primeira vez que representantes dos dois países se reúnem desde o início da invasão, em 24 de fevereiro. 

Segundo um assessor do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, a negociação entre as partes ocorre na cidade de Gomel, próximo à fronteira com a Ucrânia, apesar de a Bielorrússia ser utilizada como base recuada pelas forças de Moscou para o ataque a Kiev.

Para o país que está sendo atacado, de acordo com agências de notícias internacionais, um dos principais objetivos da negociação são um cessar-fogo imediato e a saída das tropas russas. A Ucrânia, no entanto, já teria dito não estar “muito confiante” de que as negociações poderiam pôr fim à invasão. 

As conversações terão lugar “sem condições prévias”, de acordo com os ucranianos, que garantiram não pretender capitular.

Kiev indicou que o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, aliado do chefe de Estado russo, Vladimir Putin, prometeu que o equipamento militar (aviões, helicópteros e mísseis) russo estacionado em território bielorrusso permaneceria no terreno durante a chegada, as negociações e a partida da delegação ucraniana.

A guerra

A Rússia lançou, na quinta-feira (24) de madrugada, ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeio de alvos em várias cidades, que já mataram ao menos 352 civis, incluindo crianças, segundo Kiev. A Organização das Nações Unidas (ONU) citou cerca de 370 mil deslocados para a Polônia, Hungria, Moldávia e Romênia.

O presidente Vladimir Putin disse que a “operação militar especial” visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, acrescentando que a ofensiva durará o tempo necessário.

Fonte: Hoje em dia