Conecte-se conosco

Destaque APP

Acadêmico de Arquivologia é o primeiro aluno com deficiência intelectual a colar grau na UFSM

Publicado em

em

Natural de Itaara, Marthon Militz Teixeira, 34 anos, estudante de Arquivologia, viajava todos os dias a Santa Maria para estudar e trabalhar. Durante todos os anos de graduação, faltou apenas uma vez, para a formatura do seu irmão mais novo na Brigada Militar. Foi assim que ele se tornou o primeiro aluno com deficiência intelectual a colar grau na Universidade Federal de Santa Maria. A cerimônia ocorreu neste sábado (15), no Centro de Convenções da UFSM.

Marthon ganhou nota 10 na apresentação dos resultados obtidos no estágio

Sua deficiência caracteriza-se por um atraso no desenvolvimento e dificuldades para aprender, o que não foi problema, pois o aluno sempre teve muita persistência na sua meta, e jamais pensou em desistir. Escolheu o curso por considerar a grande importância dos arquivistas – ele é técnico em Arquivos -, o amplo mercado de trabalho e também pela sua boa memória e observação, que são seus pontos fortes.

Ainda enquanto discente, teve uma boa adaptação com colegas de turma, com os quais mantém contato sempre que possível. No início, teve apenas algumas dificuldades com os métodos de ensino e aplicação de provas. Marthon tem dificuldade para fazer provas descritivas, o que foi notado por professores, que, depois de algum tempo, começaram a lhe aplicar provas orais, nas quais ele se saia muito bem. A troca de docentes em determinadas cadeiras dificultou em alguns momentos seus avanços, isso porque a cada novo professor vinham novos métodos de ensino. Foi assim que ele conheceu o professor Danilo Ribas Barbiero, que foi seu orientador no trabalho de conclusão de curso e um dos seus grandes apoiadores em sua jornada. 

Apoio do Caed durante a formação

A Universidade promoveu trabalhos especializados para Marthon durante sua graduação, com apoio da Coordenadoria de Ações Educacionais (Caed). Terapeutas ocupacionais, educadores especiais, psicólogos, reuniões individuais e formações interdisciplinares foram algumas das atividades oferecidas a ele. Mesmo durante a pandemia, de forma remota, os atendimentos e acompanhamentos continuaram. 

O pedagogo Danilo conta que a grande diferença do Marthon para os demais alunos com algum tipo de deficiência são dois elementos: disciplina e persistência nos estudos. Segundo ele, com o passar dos anos sua carência passou despercebida, uma vez que seguia se adaptando muito bem. Danilo conta que aprendeu uma grande lição com Marthon, que se envolveu e se doou muito nas disciplinas: “Nós precisamos estudar, nos adaptar e aceitar o processo contemporâneo, esses indivíduos vão estar cada vez mais nesses espaços”.

Trabalho reconhecido fora do país

Em 2019, com o resultado do seu trabalho de conclusão de curso, denominado “A memória da televisão brasileira e seus arquivos audiovisuais”, em que fez um resgate histórico dos principais momentos da história da televisão brasileira através de telenovelas, retomando os principais incêndios nas TVs brasileiras e apresentando a situação atual dessas emissoras com relação aos seus acervos arquivísticos audiovisuais, viajou para Montevidéu com um grupo da Universidade para apresentar seus resultados no XIII Congresso de Arquivologia do Mercosul.

Foi em junho de 2022 que o acadêmico iniciou seu estágio obrigatório na secretaria do curso de Arquivologia, que havia passado recentemente por mudanças físicas. O estágio foi definido em etapas: primeiro foi o mergulho – tempo de adaptação e reconhecimento do local, com revisões feitas pelo professor no final do dia. Depois, foi a vez da organização por cores, método escolhido pelo próprio aluno. Seu tempo foi maior do que as horas obrigatórias pela grade do curso, uma decisão tomada em conjunto com professores, Caed e família. Por fim, ocorreu a apresentação dos resultados obtidos no estágio, atividade que foi realizada no dia 13 de setembro, o que rendeu a ele nota 10.

Família como ponto de apoio

Para a mãe, Marly, a conclusão do curso significa um sonho realizado. Formada em Letras pela UFSM, ajudava o filho com as atividades, principalmente de leitura. Por ser ex-aluna da Instituição, matriculou-se em algumas cadeiras que o filho tinha mais dificuldade para prestar apoio. Na época em que Marthon foi aprovado na graduação, a Universidade ainda não utilizava o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Assim, a mãe entrou em contato com a coordenação do vestibular para que fosse feito outro método para o filho, que encontrava muita dificuldade na hora de redigir a redação.

Questionado sobre seus planos sobre o futuro, Marthon contou que pretende se mudar para Balneário Camboriú e estudar para concursos na região. Não descarta também a possibilidade de um mestrado em sua área.

Texto: Tatiane Paumann, acadêmica de Jornalismo, voluntária da Agência de Notícias
Fotos: Divulgação e arquivo pessoal da professora Fernanda Kieling Pedrazzi
Edição: Ricardo Bonfanti, jornalista

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

Polícia Civil prende cinco pessoas em Operação Unmask

Publicado em

em

Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Eldorado do Sul, em ação conjunta com a 1ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção do DEIC, coordenadas pela Delegada Luciane Bertoletti e pelo Delegado Max Otto Ritter, deflagra a Operação Unmask na manhã desta quinta-feira (20/06).

Cinco indivíduos foram presos preventivamente em Viamão e Porto Alegre. Foram apreendidos celulares, computadores, grande quantidade de documentos, como escrituras públicas, procurações outorgando poderes, certidões de casamento, entre outros, supostamente falsos, além de dinheiro sem procedência. O material será enviado para perícia.

Foram cumpridas 25 medidas cautelares, entre mandados de prisão, busca e apreensão, sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias, com objetivo de combate aos crimes de falsificação de documento público, estelionato e associação criminosa praticados pelos investigados contra vítimas residentes em diversos estados do país.

Conforme a investigação, os suspeitos integram um grupo criminoso que utiliza documentação falsa (carteiras de identidade, procurações e contratos de compra e venda de imóveis) para oferecer imóveis de alto valor, a maioria deles localizados na cidade de Itapema/SC. Fingindo ser corretores imobiliários, advogados e até mesmo os próprios proprietários dos terrenos enganam as vítimas, atraídas pela aparência de um negócio vantajoso, já que os terrenos são sempre oferecidos por um preço abaixo do valor de mercado imobiliário. Após transferirem o valor inicial da venda para garantir o negócio, as vítimas percebem que foram enganadas, pois os criminosos não são os verdadeiros proprietários nem possuem os terrenos, e as identidades, procurações e contratos são falsos.

A Delegacia de Polícia de Eldorado do Sul apurou que as procurações para a venda dos imóveis eram efetuadas pelos criminosos no tabelionato daquele município. A DP de Eldorado identificou a participação de dois dos investigados no crime, em conexão com fatos criminosos investigados pela 1ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção.

Em razão disso, em esforço conjunto das duas Delegacias, será desencadeada, simultaneamente, a segunda fase da operação policial que apurou que os criminosos utilizaram dados dos sistemas do IPÊ-Prev, através da violação de sigilo funcional, para praticar várias formas de crimes contra a fé pública, incluindo falsificação de Carteiras Nacionais de Habilitação, boletos bancários, procurações e escrituras públicas de imóveis de alto valor. 

As provas reunidas a partir das ações policiais demonstraram a continuidade dos atos criminosos pelos indivíduos que tiveram suas prisões preventivas decretadas pelo Poder Judiciário, em relação aos golpes praticados em tabelionatos e cartórios.

Na manhã de quinta-feira, mais de 60 policiais cumpriram as medidas cautelares com apoio da CORE/PCRS, CORE/PCRJ e COPE/PCPR.

Fonte e foto: Polícia civil

Continue lendo

Destaque APP

Autoescolas são pegas usando silicone com digitais dos alunos para burlar sistema do Detran

Publicado em

em

Com o golpe, o candidato não precisava frequentar as aulas, mas tinha garantido o registro no banco de dados

A polícia descobriu um esquema de fraudes no processo de formação de motoristas em São Paulo. Impressões de silicone com as digitais dos alunos eram utilizadas por autoescolas para burlar o sistema do Detran. As fraudes aconteciam no espaço destinado às aulas práticas na zona leste. Dentro das cabines de apoio das autoescolas, 116 moldes de silicone foram apreendidos pela polícia. Seis suspeitos de participação no esquema foram encaminhados à delegacia. Segundo as investigações, os instrutores coletam as impressões digitais dos alunos para fraudar o sistema de biometria que confirma a presença junto ao Detran. Assim, o candidato não precisava frequentar as aulas, mas tinha garantido o registro no banco de dados.

Fonte: R7.com

Foto: Inovasocial

Continue lendo

Destaque APP

Publicado em

em

A Polícia Civil, através da 1ª Delegacia de Polícia de Viamão, na tarde desta quinta-feira (20/06), prendeu duas pessoas em flagrante pela prática de crimes contra as relações de consumo. A ação ocorreu no bairro Fiúza, em Viamão.

De acordo com a Delegada Jeiselaure de Souza, após receberem uma denúncia anônima, os policiais efetuaram a prisão dos indivíduos que adquiriram produtos contaminados pelas enchentes, destinados para descarte, e que já estavam sendo oferecidos para venda a diversos consumidores do município. A equipe encontrou todos os produtos ainda cobertos por lama, os quais estavam sendo lavados de forma bastante precária no pátio da residência, sendo posteriormente oferecidos para venda ao público.

Os produtos eram todos oriundos de grande rede de farmácias e foram encaminhados para descarte, em face do alto risco de contaminação por terem contato com as águas das enchentes, sendo todos considerados impróprios para consumo.

As câmeras de monitoramento das adjacências mostram o momento que o caminhão descarrega as mercadorias contaminadas. No local também funcionava uma lanchonete, que foi interditada pela Vigilância Sanitária, em face de precariedade e péssimas condições do estabelecimento.

A ação foi desencadeada com o apoio da Prefeitura de Viamão, através da Secretaria de Saúde/Divisão de Vigilância Sanitária e também da Secretaria do Meio Ambiente, e integra uma série de ações para combater os crimes contra as relações de consumo no município. Após a elaboração dos pareceres técnicos, os produtos foram imediatamente encaminhados para descarte.

Fonte e foto: Polícia Civil

Continue lendo