Conecte-se conosco

Destaque APP

Alerta sanitário é emitido após caso de raiva herbívora em Campo Novo

Publicado em

em

Um caso de raiva herbívora foi confirmado em um bovino nesta terça-feira (29) em Campo Novo. A propriedade rural onde o animal infectado foi identificado fica próxima à divisa com Humaitá. Diante da situação, a Secretaria Estadual da Agricultura emitiu um novo alerta sanitário para a região.

Conforme a fiscal estadual Bibiana Hartmann Monte Blanco, responsável pela Inspetoria Veterinária que atende Humaitá, Crissiumal, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária, o bovino foi atendido inicialmente por um veterinário particular.

Diante dos sinais clínicos, tais como estar babando, deitado em decúbito lateral e sem conseguir levantar, a Inspetoria Veterinária foi acionada. Bibiana explicou que o animal ficou neste estado entre segunda-feira (21) até o último sábado (26) quando acabou sacrificado.

A inspetoria procedeu a coleta de parte do cérebro do animal para análise laboratorial. Nesta terça-feira (29) o resultado confirmou se tratar de raiva herbívora.

A doença é transmitida por morcegos hematófagos (que se alimentam de sangue) e pode causar a morte de bovinos, ovinos, equinos e outros animais. A enfermidade também pode ser transmitida ao ser humano e não tem cura.

Alerta sanitário para a região

O alerta sanitário publicado nesta quarta-feira (30) pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação, por meio do Departamento de Defesa Agropecuária – Divisão de Defesa Sanitária Animal, informa a ocorrência de focos de raiva herbívora nos municípios de Campo Novo, Redentora e Dois Irmãos das Missões.

O alerta abrange também os municípios vizinhos aos que registraram casos. São eles: Coronel Bicaco, São Martinho, Sede Nova, Humaitá, Bom Progresso, Braga, Santo Augusto, Alegria, Boa Vista do Buricá, Miraguaí, Nova Candelária, Crissiumal, Três Passos e Tenente Portela.

Considerando o número de focos de raiva herbívora observados neste ano na região e que a enfermidade se controla de forma preventiva, o departamento reitera a necessidade da vacinação e revacinação nos animais suscetíveis.

O alerta sanitário ainda destaca que, considerando o grande número de agressões nos animais em localidades destes municípios sem o conhecimento e a identificação de refúgios (locais onde os morcegos se abrigam), reitera-se a necessidade da identificação e a localização de novos refúgios.

A fiscal estadual reforça que cada produtor é responsável pela a vacinação do seu rebanho. A aquisição das doses deve ser feita junto às agropecuárias. Orienta-se que, após a aplicação da primeira dose, seja feito um reforço no prazo de 21 dias.

Em maio deste ano, um alerta sanitário já havia sido divulgado por conta da identificação de focos de raiva herbívora na região. Em Redentora, por exemplo, houve a morte de animais tendo sido afetados bovinos de 14 propriedades.

Morcego hematófago da espécie Desmodus rotundus.

Fonte: Rádio Alto Uruguai

Foto: André Witt/Divulgação/Seapdr

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

Pesquisa mostra que diferença salarial entre mulheres e homens caiu

Publicado em

em

Nos últimos 10 anos, houve uma redução na diferença entre salários pagos às mulheres e aos homens. O índice que mede a paridade salarial passou de 72 em 2013 para 78,7, em 2023. A paridade de gênero é medida em uma escala de 0 a 100, sendo que quanto mais próximo de 100, maior a equidade entre mulheres e homens.

Os dados estão no levantamento Mulheres no Mercado de Trabalho, realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) a partir de microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As informações serão apresentadas nesta terça-feira (5), durante a primeira reunião de 2024 do Fórum Nacional da Mulher Empresária da CNI.

O estudo também revelou que a participação feminina em cargos de liderança passou de 35,7% em 2013 para 39,1% em 2023. O índice de empregabilidade das mulheres apresentou evolução entre 2013 e 2023, passando de 62,6 para 66,6, respectivamente, crescimento de 6,4%.

Os resultados do levantamento indicaram que as mulheres têm mais escolaridade que os homens: enquanto elas têm, em média, 12 anos de estudo; os homens têm 10,7 anos.

O tempo dedicado à chamada jornada de trabalho reprodutiva, ou seja, aquela que envolve as atividades domésticas e de cuidados com familiares, também é maior entre as mulheres. No caso das pessoas empregadas, esse tempo foi de 17,8 horas semanais para mulheres e de 11 horas para homens em 2022. Entre os desocupados – desempregados e pessoas em busca de emprego –, a diferença é ainda maior: as mulheres exercem 24,5 horas semanais de trabalho e os homens, 13,4 horas.

Para o presidente da CNI, Ricardo Alban, apesar da redução das diferenças entre gêneros da última década, é preciso continuar avançando e rápido.

Legislação

Em julho do ano passado, o governo federal sancionou uma lei que garante igualdade salarial entre homens e mulheres e estabelece medidas para tornar os salários mais justos, aumentando a fiscalização contra a discriminação e facilitando os processos legais para garantir igualdade salarial.

Com a nova lei, empresas com 100 ou mais funcionários devem fornecer relatórios semestrais transparentes sobre salários e critérios de remuneração. Esses relatórios devem conter informações que permitam comparar salários e remunerações entre homens e mulheres de forma objetiva.

Caso haja alguma irregularidade, serão aplicadas punições administrativas e os processos legais para corrigir a desigualdade devem ser facilitados.

Também foram instituídos canais para denunciar o descumprimento da igualdade salarial por parte de empresas e entidades em geral. As pessoas podem encaminhar os casos por meio de um portal do Ministério do Trabalho ou pelo telefone: Disque 100, Disque 180 ou Disque 158.

Edição: Denise Griesinger

Foto: Marcelo Camargo

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Destaque APP

Até 15 de março, governo do Estado vai liberar recursos para o combate à dengue nos municípios

Publicado em

em

Imagem: Reprodução

O governo do Estado, através da Secretaria da Saúde (SES), pagará até 15 de março os recursos do repasse extraordinário de R$ 13,8 milhões que será destinado a todos os municípios gaúchos para implementarem e reforçarem as ações de vigilância e assistência no combate à dengue e a outras arboviroses (chikungunya e zika).

Anunciados na semana passada pelo governador Eduardo Leite e pela titular da SES, Arita Bergmann, os recursos vão permitir aos municípios reforçarem o atendimento aos pacientes com sintomas de arboviroses com a aquisição de sais de reidratação oral, realização de coletas de hemograma nas unidade básicas de saúde, atendimento em horários estendidos ou alternativos e pagamento a profissionais, entre outras medidas. As prefeituras terão 180 dias para realizar as despesas.

Cada município foi classificado de acordo com suas população. Serão destinados R$ 75 mil para cidades com mais de 200 mil habitantes (12 municípios), R$ 50 mil para cidades que têm entre 50 e 200 mil habitantes (32 municípios) e R$ 25 mil para as aquelas com menos de 50 mil habitantes (453 municípios).

O repasse reforça as ações de combate ao vetor da dengue neste momento em que o Estado registra um agravamento da epidemia. De acordo com o Painel da Dengue RS, nesta segunda-feira (4/3), há 11.267 casos confirmados no Rio Grande do Sul, com 11 óbitos. Outros 7.993 casos estão sendo investigados. Dos 497 municípios, 466 registram a presença da doença.

“Neste momento, é importantíssimo que os municípios coloquem em ação os planos de contingência e organizem suas redes de atenção em saúde, bem como potencializem as ações de combate ao vetor da doença”, explicou a diretora adjunta do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, Marilise de Souza. “A dengue preocupa e precisamos reforçar o foco no atendimento”, reforçou.

Fonte: Governo do Estado

Continue lendo

Agricultura

Homem é preso em flagrante por abigeato em São Pedro do Sul

Publicado em

em

No inicio da madrugada desta terça-feira (5) policiais da Brigada Militar de São Pedro do Sul prenderam um homem em flagrante por crime de abigeato. De acordo com informações obtidas pela reportagem, a BM foi acionada via fone 190 de que havia movimentação suspeita em uma propriedade rural na localidade de Inhamandá, interior do município.

Ao fazer as buscas no campo, a guarnição visualizou entre quatro ou cinco pessoas carregando volumes nas costas. Ao fazer a abordagem, os suspeitos abandonaram os sacos que carregavam e fugiram em direção a cidade. Foi pedido apoio a outra viatura e um dos suspeitos foi preso. Ele foi levado a Delegacia de Polícia, onde foi ouvido e após conduzido ao presídio. Informações detalhadas sobre a ocorrência estaremos divulgando nas próximas horas.

Fonte: Gazeta Hoje

Por : Olho vivo Sta Maria

Continue lendo