Conecte-se conosco

Destaque APP

Ex-detento do RS é selecionado para bolsa internacional: ‘estou realizando um sonho’

Publicado em

em

Natural de Porto Alegre, o reciclador e palestrante Rodrigo Sabiah participará do programa Global Freedom Fellowship. Projeto acontece em março, na África do Sul.

Natural de Porto Alegre, o reciclador e palestrante Rodrigo Sabiah ganhou uma bolsa do programa Global Freedom Fellowship, iniciativa da Incarceration Nations Network, que busca capacitar agentes de mudança social e combater o estigma contra pessoas com passagem pelo sistema prisional. Rodrigo é o único brasileiro na lista de selecionados.

“Hoje eu estou realizando um sonho graças ao trabalho que desenvolvo”, afirma em entrevista ao g1.

Desde 2012, Sabiah, apelido de infância que adotou, dá palestras e fala sobre a sua história. Em 2017, passou a dar aulas de empreendedorismo e, em 2019, a atuar como educador social. Como líder social, diz que busca “que outras pessoas possam ter oportunidades também, para que outras pessoas consigam reconstruir a sua vida”.

“O crime não me deu nada, só me tirou, tirou o pouco de bem material que eu tinha, tirou a vida de amigos meus, quase tirou a minha vida, e tirou a minha liberdade. Foi trabalhando que eu consegui conquistar dignidade, respeito, admiração pelas pessoas”, afirma.

Além de Sabiah, 16 egressos do sistema prisional de outros 11 países foram admitidos no programa. Em março, os selecionados passarão 13 dias na Cidade do Cabo e em Johanesburgo, na África do Sul, quando compartilharão ideias e vivências sobre justiça social e os tempos vivenciados na prisão.

“Eu venho há muitos anos lutando, escrevendo projetos vinculados a egressos e buscando um espaço, não um espaço pra mim, mas espaço pra que a gente possa recuperar e salvar vidas, pra que eu não seja o único”, afirma Sabiah.

Bolsa internacional

A inscrição contou com carta de recomendação do Conselho Penitenciário, que o acompanha desde a sua saída do sistema prisional. De acordo com Liliane Terhorst, psicóloga da Superintendência dos Serviços Penitenciário (Susepe) e que escreveu a carta, Sabiah tem sido parceiro em iniciativas do Conselho desenvolvidas dentro dos estabelecimentos prisionais.

Ela destaca que, por já ter passado pelo sistema, tem uma “visão importante” pra conseguir atingir os apenados, bem como a “potência da fala” e “pensamento coletivo” desenvolvido. A psicóloga, que atua no sistema penitenciário, lembra a necessidade de se ofertar possibilidade a quem passou pelo sistema prisional.

“A pessoa precisa ter interesse e disposição, mas se a gente não ofertar espaço, geração de renda, profissionalização, incremento da escolarização, a gente acaba aquém do necessário”, diz Liliane.

Trajetória

Filho de mãe solo, empregada doméstica, Sabiah relata que conviveu com a violência desde a infância em uma comunidade pobre de Porto Alegre. Ver pessoas morrendo, conviver com o tráfico, violência policias, tudo isso era parte da rotina.

“Desde os meus 8 anos de idade, quando eu cheguei nessa comunidade, eu tive que me deparar com todos os tipos de violência que existem em todas as comunidades pobres que nós temos no Brasil e no mundo. […] Eu cresci vendo aquilo, até que com 16 anos eu me envolvi com o crime. Com 18 anos fui preso pela primeira vez, fiquei 20 das preso”, conta.

Ele diz que cresceu com a curiosidade de saber como era o presídio, uma vez que viu pais e irmãos de amigos serem presos.

“Aquilo fazia parte da minha rotina, mexia com o meu imaginário. Até que com 18 anos eu fui preso pela primeira vez e eu vi que não era o que falam. Com 23, fui preso pela segunda vez. Só que, diferente da primeira vez, eu fui preso por assalto à mão armada, e não fui pra ficar 20 dias, fiquei cinco anos: três anos em regime fechado e dois anos no regime semiaberto”, lembra.

Ainda na prisão, conta que começou a ler e, depois, começou a escrever e a fazer terapia. Quando saiu, foi trabalhar na reciclagem. Não era o que queria, lembra, “mas foi a oportunidade que apareceu”. Com o crescimento da iniciativa, criada em parceria com o irmão, que também passou pelo sistema prisional, começaram a dar oportunidade para outros.

Entre os trabalhos desenvolvidos por Sabiah está o Reciclando Vidas, que dá nome à palestra e ao projeto, no qual, a partir de parcerias, busca dar oportunidade de trabalho para jovens, dar qualificação para os ex-detentos.

“É um trabalho bem difícil, porque a sociedade não abre portas para essas pessoas, a sociedade não acredita nessas pessoas. […] A gente tem baixar guarda com relação a esse preconceito, porque, senão, as coisas vão continuar do mesmo jeito, são os nossos morrendo, são os mesmos caras indo pro presídio”, diz.

Durante a pandemia, o foco nos com os ex-detentos foi “adormecido” para dar lugar à arrecadação e doação em comunidades carentes de Porto Alegre. “Começamos a fazer o trabalho de entrega de cestas básicas, alimentos, roupas, vale gás.”

Acompanhamento

O Departamento de Politicas Penais, que integra Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo do RS e também apoiou a inscrição de Sabiah, informou que incentiva a participação de ex-detentos do sistema prisional em cursos e oficinas “por entender que esta é uma forma de dar visibilidade e potencializar as vozes das pessoas que cumprem pena, fomentando o debate sobre a importância da inclusão social”.

Conforme o departamento, durante o cumprimento de pena, as pessoas privadas de liberdade são acompanhadas por equipe de servidores públicos, psicólogas e assistentes sociais. Ao retornarem ao convívio social, “se torna importante a realização da articulação em rede, umas vez que muitos saem com seus vínculos sociais, comunitários e familiares fragilizados”.

Dentro do sistema prisional, Sabiah participou do projeto Multiplicadores de Cidadania para a Paz.

Fonte: G1

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2023/01/10/ex-detento-do-rs-e-selecionado-para-bolsa-internacional-estou-realizando-um-sonho.ghtml

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

Governador Eduardo Leite alerta para risco de inundações e deslizamentos no Rio Grande do Sul

Publicado em

em

• O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, alertou na segunda-feira (17) para o risco de inundações e deslizamentos no estado devido às fortes chuvas previstas até quarta-feira (19).

• Ele anunciou o reforço do efetivo das forças de segurança no Vale do Taquari, Vale do Caí, Serra Gaúcha e Litoral Norte para combater possíveis estragos causados pelas tempestades.

Quatro aeronaves, embarcações e agentes militares estão sendo mobilizados para atuar em operações de resgate, incluindo veículos do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

• O governo gaúcho também buscará o apoio das Forças Armadas para colocar mais veículos à disposição.

• Tropas especializadas em áreas deslizadas e cães de busca também estão sendo destacados para auxiliar nos esforços de resposta.

• A Defesa Civil estadual emitiu boletins com alertas sobre a elevação dos rios Taquari, Caí, Paranhana, Cadeia e rio dos Sinos, recomendando que a população em áreas de risco procure abrigo seguro.

Foto: Jurgen Mayrhofer

Fonte: O Sul

https://www.osul.com.br/governador-eduardo-leite-alerta…
Continue lendo

Destaque APP

Instabilidade persiste no RS e alerta é para temporais nesta quarta

Publicado em

em

Nesta quarta-feira (19), o Rio Grande do Sul poderá enfrentar instabilidade meteorológica significativa. Nuvens carregadas estão avançando de Oeste para Leste e ao Sul do Estado, trazendo consigo o risco de chuva localmente forte.

As precipitações poderão ser torrenciais e acompanhadas de raios e trovoadas. Além disso, há possibilidade de temporais isolados, incluindo granizo e rajadas de vento forte. É importante salientar que, embora exista risco de chuvas intensas, estas não afetarão todas as cidades gaúchas. A maioria dos municípios não enfrentará temporais.

Em Porto Alegre, o tempo será marcado por sol entre muitas nuvens durante o dia. A temperatura máxima será de 24°C e a mínima de 17°C. Já na Serra Gaúcha, podem ocorrer períodos de chuva, com temperaturas variando entre 17°C e 23°C.

Fonte: Leouve

Continue lendo

Destaque APP

Piloto de 9 anos morre após acidente de moto em competição em Interlagos, em São Paulo

Publicado em

em

Um piloto argentino de apenas 9 anos morreu após sofrer um acidente durante uma competição de motovelocidade no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Lorenzo Somaschini foi hospitalizado na sexta-feira (14) e faleceu na noite de segunda-feira (17).

Ele era um dos participantes do SuperBike Brasil, que é um dos principais campeonatos de motovelocidade do mundo. O piloto disputava uma categoria voltada para crianças e adolescentes de 8 a 18 anos, com motocicletas de 160 cilindradas.

Segundo a organização do evento, Lorenzo sofreu o acidente durante o primeiro treino livre no autódromo, na sexta-feira. O jornal argentino El Clarín afirmou que a criança bateu a cabeça após a queda. Lorenzo foi socorrido e levado por uma UTI móvel até o Hospital Geral da Pedreira, na capital paulista. No sábado (15), ele foi transferido para o Hospital Albert Einstein em estado grave.

A imprensa argentina definiu Lorenzo como um prodígio do motociclismo argentino. Além disso, o piloto sonhava em chegar ao MotoGP e se tornar campeão mundial. Por meio de nota, o SuperBike Brasil disse que está prestando assistência à família do piloto desde o dia do acidente.

“O SuperBike Brasil comunica, com muita tristeza e pesar, o falecimento do piloto Lorenzo Somaschini nesta segunda-feira (17/6), às 19h43. O argentino, natural de Rosário, estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), sob cuidados médicos intensivos e, infelizmente, não resistiu. A organização do SuperBike Brasil está prestando total assistência à família do piloto desde sexta-feira (14/6), quando o argentino teve uma queda durante o primeiro treino livre da Jr Cup, válido pela 4ª etapa do SuperBike Brasil, no Autódromo de Interlagos. Logo que caiu na saída do Pinheirinho, o piloto foi prontamente atendido no local pela equipe médica em ambulância UTI. Na sequência, foi encaminhado para a sala de emergência do autódromo, onde houve a estabilização do seu quadro clínico. Após esse procedimento, foi realizada a remoção médica, em unidade de suporte avançada (UTI móvel) para o Hospital Geral da Pedreira, onde permaneceu até a madrugada de sábado (15/6), seguindo todos os protocolos médicos até ser feita a transferência para o Hospital Albert Einstein.

Todos da equipe do SuperBike Brasil estão consternados com o acontecimento e manifestam sinceros sentimentos a todos familiares e amigos de Lorenzo”, diz a nota.

Fonte: O Sul

Continue lendo