Conecte-se conosco

Destaque APP

Fila para transplante de córnea no Brasil quase dobra em cinco anos

Publicado em

em

Houve redução do volume de cirurgias depois da pandemia de covid-19.

A fila de espera por um transplante de córnea no Brasil praticamente dobrou ao longo dos últimos cinco anos, passando de 12.212 em 2019 para 23.946 atualmente. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) alerta que o volume de procedimentos não retomou os níveis pré-pandemia de covid-19 – o total de intervenções realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2022 é menor do que o que era executado no início da década passada. 

Os dados constam no Observatório CBO, plataforma criada pela entidade de acesso público e gratuito, que agrupa informações sobre consultas, exames, cirurgias e transplantes realizados. De acordo com o levantamento, o número de transplantes de córnea no SUS recuou ao patamar do que era executado em 2013. Em 2020, auge da pandemia, a série histórica registrou o seu pior desempenho na década: 4.374 cirurgias. 

Regiões

Os números mostram que, entre 2012 e 2022, a rede pública realizou cerca de 86 mil transplantes de córnea no Brasil. As cirurgias estão concentradas no Sudeste, que responde por 46% do total de procedimentos. Na sequência, aparecem Nordeste, com 25%; Sul (13%); Centro-Oeste (9%); e Norte (5%).

Estados

O estado de São Paulo contabiliza nove unidades de transplante e responde por um terço das cirurgias desse tipo no período analisado: 29,9 mil intervenções entre 2012 e 2022. Nas posições subsequentes aparecem Pernambuco (5.770), Minas Gerais (5.696), Paraná (4.946) e Ceará (4.727).
Na outra extremidade do ranking estão Tocantins (145), Acre (237), Rondônia (569), Alagoas (625) e Paraíba (1.115). Em todo o país, 24 estados possuem pelo menos um banco de tecidos oculares na rede pública, exceto Acre, Amapá e Roraima. 

Perfil

Ainda de acordo com o levantamento, o volume de transplantes no Brasil é dividido praticamente ao meio entre homens (50,7%) e mulheres (49,3%). Porém, nas regiões geográficas, essa proporcionalidade muda. Os homens são maioria entre os beneficiados no Norte (59%), Centro-Oeste (56%), Sul (53%) e Nordeste (51%). Apenas no Sudeste, a população feminina apresenta percentual ligeiramente maior, com 51% dos casos. 

Outro ponto destacado é o volume significativo de intervenções nas faixas etárias de 40 a 69 anos (39,2%) e de 20 a 39 anos (27%) o que, para o CBO, demonstra o valor social desse tipo de procedimentos. Outros grupos também são favorecidos, como idosos com mais de 70 anos (25% dos casos) e crianças e adolescentes (8,4%).

Espera

Números do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) revelam que, atualmente, há 24.319 pacientes à espera de algum procedimento nas córneas. Em 2020, esse total já era de 16.337 e, em 2021, de 20.134. Os dados se referem a atendimentos feitos no SUS e nas redes privada e suplementar. 
O tempo de espera por um transplante de córnea, segundo o CBO, é de 13,2 meses, em média. O índice, entretanto, varia de acordo com o estado: no Pará, 26,2 meses; no Maranhão, 22,6; no Rio de Janeiro, 21,4; no Rio Grande do Norte, 18,4; e em Alagoas, 17,7. 

Por outro lado, a demora registrada é menor no Ceará (1,2 mês), no Amazonas (2,2), em Santa Catarina (4,9), no Mato Grosso (6,1) e no Paraná (6,5). Para o CBO, o volume de transplantes e a celeridade no atendimento das demandas está diretamente vinculada à existência de uma rede ativa de captação de córneas em cada localidade.

A Agência Brasil pediu posicionamento do Ministério da Saúde sobre o tema e aguarda resposta.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Fonte: RD Foco

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

Operação Policial resulta em apreensão de drogas e prisão de suspeitos em Santo Ângelo

Publicado em

em

Na tarde desta segunda-feira, 15, uma operação conduzida pelo 7ºRPMon/Santo Ângelo, em colaboração com equipes da Força Tática, desmantelou o tráfico de drogas na região. A ação foi desencadeada após um monitoramento realizado pelo setor de inteligência, resultando na apreensão de uma quantidade expressiva de entorpecentes e na prisão de dois suspeitos. O desenrolar da operação iniciou quando as equipes da Força Tática passaram a acompanhar uma motocicleta suspeita.

Ao perceber a aproximação da viatura, o condutor da motocicleta tentou se desfazer de uma porção de maconha, o que levantou suspeitas e indicou a possível prática de atividades ilícitas. Após a abordagem e identificação do condutor, este confessou ter adquirido a droga de um conhecido, já familiar às autoridades policiais. Com base nas informações obtidas durante a abordagem, as equipes deslocaram-se até a residência do indivíduo. Ao chegarem ao local, o suspeito tentou empreender fuga para o interior da residência, porém foi interceptado pelas autoridades. Durante a tentativa de fuga, o suspeito descartou mais drogas, além de valores em dinheiro e objetos de procedência suspeita.

A revista minuciosa na residência revelou ainda mais drogas, uma quantia significativa em dinheiro, bem como um revólver calibre 32 municiado e objetos utilizados para o tráfico de entorpecentes, como balanças de precisão e materiais para embalagem. A investigação prosseguiu e, de acordo com informações obtidas pelo setor de inteligência, foi identificado que o suspeito guardava mais entorpecentes na residência de sua mãe. Com a devida autorização, os policiais realizaram buscas no local, resultando na descoberta de um grande estoque de drogas, dinheiro e uma arma de fogo.

Os dois suspeitos foram detidos e encaminhados ao Hospital Regional das Missões e posteriormente à Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) para os procedimentos legais. Entre os materiais apreendidos estão mais de um quilo de maconha, aproximadamente 48 gramas de crack e 82 gramas de cocaína, além de uma quantia em dinheiro, armas de fogo, equipamentos eletrônicos e outros objetos relacionados ao tráfico de drogas.

Fonte: Redação do Grupo Sepé com informações do 7ºRPMon

Continue lendo

Destaque APP

INSS alerta que não usa intermediário para liberar salário-maternidade

Publicado em

em

“Sites e redes sociais que oferecem facilidades e mesmo se apresentam como canais para conseguir o salário-maternidade não são canais oficiais e devem ser vistos com desconfiança”, diz nota | Foto ilustrativa: Unsplash

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) divulgou alerta para sites e páginas em redes sociais que se apresentam como canais para conseguir o salário-maternidade. O instituto informa que não usa intermediários para a concessão do benefício. Para solicitar o salário-maternidade, basta acessar o aplicativo ou site do INSS ou a Central de Atendimento 135.

O serviço é gratuito, ou seja, não são cobradas multas ou valores adiantados para liberação do auxílio.

“Nos casos que as seguradas necessitem de auxílio de terceiros, a recomendação do INSS é para que busquem auxílio de um (a) advogado (a) devidamente registrado (a) na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ou Defensoria Pública, sendo esta uma alternativa para as pessoas que não têm condições financeiras para contratar um advogado. O objetivo é evitar que seguradas caiam em golpe de pessoa que se apresente como advogado (a), mas não é”, diz a nota do INSS.

O instituto lembra que não devem ser fornecidos dados pessoais – CPF, nome, data de nascimento – a estranhos ou em sites desconhecidos.

“Sites e redes sociais que oferecem facilidades e mesmo se apresentam como canais para conseguir o salário-maternidade não são canais oficiais e devem ser vistos com desconfiança, pois podem representar risco à segurança de dados do cidadão. O INSS não utiliza intermediários para a concessão deste benefício e nem cobra multas ou valores adiantados para que o salário-maternidade seja liberado”, ressalta o comunicado.

Fonte: Correio do Povo

Continue lendo

Destaque APP

PRF prende homem armado que tentou fugir da abordagem em Sarandi

Publicado em

em

Motorista tem diversas passagens pela polícia e estava com a família, incluindo uma menina de 1 ano

Na noite desta segunda-feira (15), a Polícia Rodoviária Federal prendeu o motorista de um Fiesta por porte ilegal de arma de fogo. Ele tentou fugir da abordagem em alta velocidade. A ação ocorreu na BR 386 em Sarandi.

Durante ação de fiscalização voltada a combate ao crime, Policiais Rodoviários Federais deram ordem de parada para um Fiesta com placas de Barão/RS. O motorista desobedeceu a abordagem e acelerou o veículo, tentando fugir. Ele foi perseguido por alguns quilômetros até que foi bloqueado pelas viaturas e parou.

O motorista era um homem de 30 anos, morador de Cruzeiro do Sul/RS. Junto com ele, estavam no carro a mulher e 04 filhos do casal: duas meninas, uma de 1 ano e outra de 10, e dois meninos, de 7 e 13 anos. Em revista ao veículo foi encontrado um revólver calibre 38 e 17 munições.

O motorista já possuía passagem pelo presídio e diversas ocorrências policiais, por crimes como furto, receptação, roubo, abigeato, porte ilegal de arma e tentativa de homicídio.

Ele foi preso e encaminhado à polícia judiciária para registro da ocorrência. A arma e as munições foram apreendidas.

Fonte: Imprensa PRF Sarandi

Continue lendo