Conecte-se conosco

Destaque APP

Mãe denuncia médica que diagnosticou filha com dor no braço como ‘pessoa fingindo ser doente’ em Fortaleza

Publicado em

em

A mãe de uma criança de sete anos com fortes dores no braço se diz “indignada” com o diagnóstico médico dado à filha: “pessoa fingindo ser doente (simulação consciente)”. Após atendimento de uma segunda profissional, foi detectado que a criança tinha uma rachadura do osso do braço.

Cibeli Rocha procurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Horizonte, na Grande Fortaleza, na noite de quinta (14), quando a filha se queixava de fortes dores no braço. “Fazia uma semana que minha filha tinha machucado o braço quando brincava de pular na cama. Como não inchou, coloquei gelo e dei anti-inflamatória”, conta a mãe.

Até que as dores ficaram mais fortes, e a criança dizia já não mais suportar. A mãe relata que a criança não conseguia erguer o próprio braço, mas o membro era erguido quando puxado pela médica. “Diante disso, ela disse que minha não tinha nada, e eu questionei que ela tinha dito diagnosticado só no olho, sem pedir nem um raio x”, relata a mãe.

Após exigir, a profissional de saúde encaminhou a criança para um raio x, com o registro de que a paciente estava fingindo uma doença. “Eu perguntei se era aquilo mesmo, se minha filha estava fingindo. Ela disse ‘sim, estava’; e eu respondi ‘pois tudo bem, eu só queria ouvir isso da sua boca’.”

Denúncia na delegacia

Mesmo com o diagnóstico, a mãe não acreditava que a filha fingia dor, já que ela relatava fortes dores há dias. “Ela não queria atestado pra faltar aula nem trabalho, é uma criança com dor, ela não iria fingir isso”, defende.

Ela registrou boletim de ocorrência contra a médica na Delegacia Municipal de Horizonte e em seguida retornou à UPA, exigindo ser atendida por outra profissional.

“Fomos atendidos [no retorno] por uma ótima profissional. Fizemos um raio-x e foi detectado que ela tem uma rachadura no osso e uma mancha, que estão suspeitando que é um tumor”, diz a Cibeli Rocha.

Em nota, a Prefeitura de Horizonte lamentou o ocorrido e informou que a UPA é gerida pelo Instituto Gestão e Cidadania (ICG) e que a médica denunciada não era uma profissional fixa do município. A prefeitura também afirma que solicitou ao ICG para não escalar mais a médica para atender na UPA, de modo a “assegurar que a confiança da comunidade no sistema de saúde seja restaurada”.

Ainda conforme a administração do município, a criança vai passar por uma consulta com especialista no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza, e “está recebendo toda assistência necessária por parte do município”.

Foto: Reprodução

Fonte: g1

Pode ser uma imagem de hospital e texto

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue este ano

Publicado em

em

Desde o início do ano, o Brasil registrou 1.017.278 casos prováveis de dengue e 214 mortes confirmadas pela doença. Outros 687 óbitos estão em investigação. 

O coeficiente de incidência da dengue no país, neste momento, é de 501 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados são do Painel de Monitoramento das Arboviroses, divulgados nesta quinta-feira (29), em Brasília, pelo do Ministério da Saúde.

Entre os casos prováveis, 55,4% são de mulheres e 44,6% de homens. A faixa etária dos 30 aos 39 anos segue respondendo pelo maior número de ocorrências de dengue no país, seguida pelo grupo de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos.

Minas Gerais lidera em número absoluto de casos prováveis (352.036) entre os estados. Quando se considera o coeficiente de incidência, o Distrito Federal aparece em primeiro lugar: 3.612,7 casos por 100 mil habitantes.

O DF é uma das unidades federativas que decretaram situação de emergência em saúde pública por causa da explosão de casos de dengue. Segundo o governador Ibaneis Rocha, as redes de saúde da capital, tanto a pública quanto a privada, entraram em colapso no atendimento.

Um dos pacientes que tiveram dificuldade ao buscar assistência médica é Januário da Cruz Silva, de 61 anos. Ele trabalha com um caminhão de mudanças, mas há quase uma semana teve de parar com os serviços por conta da dengue. Silva recorreu à Unidade Básica de Saúde (UBS) 1, do Paranoá, região administrativa no DF, depois de procurar, sem sucesso, atendimento médico em um hospital.

“Fui sábado ao posto de saúde, fiz hemograma e constatei estar com dengue. Fui, então, encaminhado para o Hospital do Paranoá. Fiquei quase cinco horas lá, mas acabei não sendo atendido porque, como praticamente não havia médicos, eles só atendiam quem tinha pulseira vermelha de emergência”, disse à Agência Brasil.

A servidora Glaucilene Cardoso, de 44 anos, também levou a filha, Isabella Cardoso, de 9 anos, para ser atendida em uma UBS. A menina foi diagnosticada com dengue e com covid-19. “Por sorte, o caso da minha filha não foi grave, nem para a dengue nem para a covid. Mas, claro, a gente fica sempre preocupada.”

Isabella foi levada à tenda de atendimento montada na Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal, e, na sequência, foi diagnosticada e encaminhada para a UBS 7.

“Foram seis dias de tosse, febre e dores nos olhos e no corpo”, descreveu Glaucilene ao citar a mistura de sintomas das duas doenças observada na filha. A servidora elogiou a dedicação das equipes de saúde. “Sempre prestam bom serviço por aqui”, afirmou.

Dia D será sábado

Segundo a ministra da Saúde, Nísia Trindade, o Brasil poderá ter neste ano o dobro de casos de dengue registrados em 2023, que chegou a 1.658.816 casos.

No próximo sábado (2), o Ministério da Saúde – em parceria com estados e municípios – vai realizar o Dia D de combate à doença. Com o tema Brasil Unido Contra a Dengue, serão promovidas ações de orientação para a população sobre os cuidados para evitar a disseminação da doença.

Os principais sintomas relacionados à dengue são febre alta de início repentino, dor atrás dos olhos, mal estar, prostração e dores no corpo. O vírus da dengue pode ser transmitido ao homem principalmente pela picada de fêmeas de Aedes aegypti infectadas.

Seis estados – Acre, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio de Janeiro – e o Distrito Federal), além de 154 municípios, já decretaram situação de emergência por causa da doença.

Fonte: Agência Brasil – Colaborou Pedro Peduzzi

Continue lendo

Destaque APP

Brigada Militar prende homem por porte irregular de arma de fogo e apreende máquinas caça níquel/jogos de azar em Tenente Portela.

Publicado em

em

Na noite de quinta-feira (29/02), policiais militares do 7° Batalhão de Polícia Militar (7°BPM), prenderam um homem por porte irregular de arma de fogo, e apreende máquinas caça níquel/ jogos de azar em Tenente Portela.

A ação ocorreu durante abordagem em um bar, e durante a revista foi localizado e apreendido uma arma de fogo, 6 munições intactas calibre 22, 8 máquinas caça níquel, 8 canivetes e 10 facas.

Diante dos fatos, os materiais foram apreendidos, e o preso conduzido até a Delegacia de Polícia.

Edição: Comunicação Social 7° BPM

Foto: Efetivo 7°BPM

Continue lendo

Destaque APP

Quadro clínico de criança atropelada em Coronel Bicaco é estável

Publicado em

em

Conforme atualização de familiares da vítima, a criança que foi atropelada por um veículo nesta quinta-feira em Coronel Bicaco apresenta quadro clínico estável.

A menina sente dores e está internada no Hospital Santo Antônio em Tenente Portela.

O acidente ocorreu no final da tarde desta quinta-feira. Um carro desgovernado atingiu a menina enquanto a mesma andava de bicicleta.

Fonte: Portal Bicaquense

Continue lendo