Conecte-se conosco

Destaque APP

Manifestantes tentam impedir equipe da RBS TV de registrar imagens de ato em Panambi;

Publicado em

em

Homem deu um soco em carro da reportagem da afiliada da TV Globo no RS, e hostilizou repórter. Brigada Militar precisou intervir para garantir que equipe trabalhasse em segurança.

Dois apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) tentaram dificultar o trabalho da equipe da RBS TV, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul, que registrava imagens de um ato na BR-158, em Panambi, na Região Noroeste do estado, nesta segunda-feira (9). Cerca de 10 pessoas estavam na Avenida Adolfo Kepler, próximo ao trevo de acesso à rodovia.

Um dos homens deu um soco em um dos vidros do carro da reportagem da RBS TV e hostilizou a repórter Gherusa Cassol. A Brigada Militar (BM) precisou intervir para garantir que o trabalho de jornalismo fosse feito com segurança.

Na manhã desta segunda, alguns carros e caminhões foram estacionados nas margens da via. O trânsito não chegou a ser interrompido. A BM foi até o local para impedir que os manifestantes bloqueassem a estrada.

No dia 3 de janeiro, uma equipe de reportagem da RDC TV foi agredida por bolsonaristas em Porto Alegre. O ato de violência aconteceu enquanto os profissionais registravam imagens do acampamento montado na região do Comando Militar do Sul, onde apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) realizavam em atos antidemocráticos contrários ao resultado das eleições.

Em novembro de 2022, uma equipe da Band também foi agredida na mesma região. Um homem chegou a ser preso em flagrante por lesão corporal. Na mesma semana, profissionais do SBT, da RecordTV e da RDC TV foram hostilizados por bolsonaristas radicais no entorno do quartel.

Outros atos

Manifestantes bolsonaristas, que ocupavam a frente do Comando Militar do Sul desde 2 de novembro em Porto Alegre, desmobilizaram o ato antidemocrático entre este domingo (8) e esta segunda.

O secretário da Segurança Pública, Sandro Caron, afirmou que a Inteligência investiga a participação de gaúchos em atos golpistas registrados em Brasília. “Saíram ônibus com gaúchos para Brasília, saíram das imediações do Comando Militar do Sul”, disse. De acordo com o chefe da Polícia Civil do RS, Fábio Motta Lopes, a investigação dos ataques está sendo conduzida por Brasília, mas as forças de segurança do RS estão colaborando com informações.

Fonte: G1

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2023/01/09/manifestantes-tentam-impedir-equipe-da-rbs-tv-de-registrar-imagens-de-ato-em-panambi-video.ghtml

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agricultura

Homem é preso em flagrante por abigeato em São Pedro do Sul

Publicado em

em

No inicio da madrugada desta terça-feira (5) policiais da Brigada Militar de São Pedro do Sul prenderam um homem em flagrante por crime de abigeato. De acordo com informações obtidas pela reportagem, a BM foi acionada via fone 190 de que havia movimentação suspeita em uma propriedade rural na localidade de Inhamandá, interior do município.

Ao fazer as buscas no campo, a guarnição visualizou entre quatro ou cinco pessoas carregando volumes nas costas. Ao fazer a abordagem, os suspeitos abandonaram os sacos que carregavam e fugiram em direção a cidade. Foi pedido apoio a outra viatura e um dos suspeitos foi preso. Ele foi levado a Delegacia de Polícia, onde foi ouvido e após conduzido ao presídio. Informações detalhadas sobre a ocorrência estaremos divulgando nas próximas horas.

Fonte: Gazeta Hoje

Por : Olho vivo Sta Maria

Continue lendo

Destaque APP

JUSTIÇA GAÚCHA DETERMINA QUE O GOVERNO FEDERAL PAGUE R$ 100 MIL À FAMÍLIA DE UM SOCORRISTA DO SAMU QUE MORREU DE COVID-19

Publicado em

em

O homem trabalhava na região de Palmeira das Missões, no Norte do Estado

A 1ª Vara Federal de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, condenou o governo federal ao pagamento de R$ 100 mil à família de um socorrista do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que morreu em decorrência da Covid-19.

Segundo informações divulgadas na noite de sexta-feira (1º) pela Justiça Federal, a mulher e o filho do homem entraram com uma ação contra a União alegando que o socorrista faleceu aos 45 anos em decorrência da doença. Afirmaram que ele trabalhou como condutor socorrista do Samu na região de Palmeira das Missões, no Norte do Estado, por mais de cinco anos, iniciando em junho de 2014 e mantendo-se na ativa até ser infectado pelo coronavírus, justamente por atuar na linha de frente no combate à doença.

Ao analisar as provas anexadas aos autos, o juiz Bruno Polgati Diehl pontuou que elas atestaram o trabalho realizado pelo homem e as causas da sua morte. Ele observou que a Lei 14.128/2021 definiu que as famílias de profissionais de saúde, falecidos em decorrência da Covid-19, que tenham trabalhado no atendimento direto aos pacientes acometidos por essa doença, têm direito a uma compensação financeira.

O magistrado afirmou que a lei prevê que as famílias dos trabalhadores falecidos possuem o direito de receber R$ 50 mil como compensação, que devem ser divididos igualmente entre cônjuges e dependentes. Em relação ao filho, de acordo com a norma, é devida ainda parcela calculada mediante a multiplicação de R$ 10 mil pelo número de anos inteiros e incompletos que faltavam, na data de óbito do pai, para que ele completasse 21 anos. Diehl concluiu que o rapaz teria direito a R$ 50 mil, tendo em vista que possuía 16 anos na época do óbito.

Em sua defesa, a União sustentou a existência de limites orçamentários, a ausência de desídia de sua parte e o não preenchimento dos pressupostos para a sua responsabilização. Cabe recurso da decisão ao TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

Fonte: Olho Vivo Sta Maria RS

Continue lendo

Destaque APP

Policial civil é preso com drogas e armas em casa no RS; corporação apura o caso

Publicado em

em

Prisão ocorreu durante mandado de busca e apreensão na casa do agente em Porto Alegre. Policial em estágio probatório já havia sido afastado das atividades.

Um policial civil foi preso em flagrante, na sexta-feira (1º), em uma investigação da Polícia Civil contra o tráfico de drogas em Porto Alegre. A informação foi confirmada pela corporação nesta segunda (4). O nome do agente não foi divulgado.

O investigado foi detido durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em sua residência. No local, a polícia encontrou armas de fogo e porções de drogas. O policial está preso na sede do Grupamento de Operações Especiais da polícia.

De acordo com a corporação, o agente está em estágio probatório. Isso significa que ele cumpre um período de dois anos de observação após a nomeação, para verificar se ele será ou não efetivado no cargo. Ele já havia sido afastado dos serviços policiais a pedido da Corregedoria-Geral da Polícia Civil.

“Esta não é uma notícia que a Polícia Civil gostaria de transmitir. Entretanto, deixamos claro nosso compromisso em servir e proteger a sociedade gaúcha com ética e seriedade”, disse o chefe da corporação, delegado Fernando Sodré, em nota.

Um inquérito da Corregedoria apura o caso. Após a conclusão das investigações, o relatório será encaminhado ao Conselho Superior de Polícia para uma apuração disciplinar.

A Polícia Civil afirma, por meio de um comunicado, que está comprometida a “investigar todas as condutas supostamente inadequadas praticadas pelo agente”.

A corporação diz ainda que “todas as medidas disciplinares e penais serão tomadas contra aqueles que desviarem da conduta esperada pelo Estado e pela sociedade gaúcha”.

Fonte: G1

Continue lendo