Conecte-se conosco

Destaque APP

Pais baleiam as próprias filhas em tiroteio durante briga de trânsito nos EUA

Publicado em

em

Não há final feliz em uma discussão em que armas entram em argumento. E, definitivamente, destemperados que acreditam que uma conversa se resolva com um duelo de armas devem saber que tiros podem alvejar qualquer pessoa, inclusive um ente querido. E foi por uma armação do destino que dois homens, que decidiram resolver uma discussão de trânsito à bala, tiveram as suas respectivas filhas baleadas em um tiroteio protagonizado por eles.

William Hale, de 35 anos, e Frank Allison, de 43, atiraram nos veículos um do outro com revólveres semiautomáticos durante uma perseguição de “gato e rato” em alta velocidade – e foram finalmente presos quando saíram de seus veículos e começaram a brigar na estrada, informou a polícia da Flórida em comunicado.

Durante o tiroteio, a filha de 5 anos de Hale foi atingida na perna e a filha de 14 anos de Allison foi baleada nas costas, deixando-a com um colapso pulmonar, disse o xerife do condado de Nassau. “O que é mais assustador do que um motorista maluco com uma arma? Dois motoristas malucos com uma arma”, disse o xerife chocado. “Felizmente, ninguém foi morto neste incidente, mas poderia ter acontecido muito facilmente porque duas pessoas estavam agindo de forma estúpida e deixaram seus temperamentos tomarem conta deles. Pode ter havido duas crianças mortas por causa de dois homens adultos estúpidos”, criticou.

Leeper disse que a agência “recebeu várias ligações para o 911 com relatos de pessoas sendo baleadas” na Highway 1 perto de Callahan, no subúrbio de Jacksonville. Uma das testemunhas disse às autoridades que uma picape Dodge Ram preta estava “envolvida em uma perseguição” com um Nissan Murano cinza – e que outro veículo também estava envolvido no tiroteio.

Hale, da Geórgia, e o morador local Allison estavam “acelerando” e “dirigindo de forma irregular”, disse Leeper, acrescentando que os homens também estavam verificando os freios – o que ele explicou ser uma prática que envolve “ficar na frente um do outro e frear”. Em dado momento, Hale emparelhou com Allison e começou a gritar, com a esposa do outro lhe apontando o dedo médio em riste. Uma garrafa partiu do outro carro em resposta.

“O motorista do Nissan, Allison, então pegou sua arma semiautomática Sig Sauer calibre .45 e disparou um tiro na picape antes de sair em velocidade média”, disse Leeper, dizendo que o motorista admitiu ter disparado. “A bala que o Sr. Allison disparou entrou na porta traseira do lado direito do passageiro e atingiu uma menina de 5 anos na perna direita”, relatou. Mais tarde, Hale disse aos policiais que “ele ouviu um estouro alto, mas não pensou em nada até que todos começaram a surtar no banco de trás”, disse Leeper. “Ele então percebeu que sua filha foi baleada”, disse o xerife.

Hale então “acelerou” e “começou a disparar vários tiros de sua pistola semiautomática Glock 43 9mm pela janela do motorista”, disse o xerife. Hale mais tarde admitiu que “ele atirou em tudo que estava em seu raio de visão – sete ou oito tiros”, disse o xerife.

“Pelo menos três balas atingiram o Nissan. Uma das balas atravessou a traseira do veículo e atingiu uma menina de 14 anos nas costas”, disse ele.

Fonte:Observador Regional

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque APP

PIRAPOENSE CONDENADO A 34 ANOS DE CADEIA

Publicado em

em

Justiça condena a 34 anos de prisão homem acusado de estuprar e assassinar mulher em Caxias do Sul

Naiara Ketlin Pereira Maricá, de 18 anos, foi morta em 2023 após festa de ano-novo por homem que se ofereceu para acompanhá-la até em casa. Condenado está preso.

A Justiça do Rio Grande do Sul condenou a 34 anos de prisão Ricardo Silveira Sebastiany pelo estupro e assassinato de Naiara Ketlin Pereira Maricá, de 18 anos, em Caxias do Sul, na Serra. O caso ocorreu em 1º de janeiro de 2023.

A Defensoria Pública do Estado, responsável pela defesa de Sebastiany, disse que “vai se manifestar apenas nos autos do processo”. A pena deve ser cumprida em regime fechado. O condenado está na Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves.

De acordo com o Ministério Público (MP), a investigação policial do caso começou na manhã do dia 1º, quando a mãe de Naiana encontrou ela morta dentro da casa que morava no bairro Esplanada. No corpo, havia ferimentos que sugeriam terem sido causados por faca e também sinais que remetiam a violência sexual.

A Polícia Civil descobriu que Naiara havia saído na noite anterior para festejar o ano-novo com amigos, mas passou mal e decidiu voltar para casa. Sebastiany estava junto com o grupo e se ofereceu para acompanhá-la. Os dois não se conheciam antes.

Imagens de câmeras de segurança ajudaram a polícia a identificar Sebastiany. Nos registros, ele é visto caminhando com Naiara. Essa teria sido a última vez que ela é vista com vida.

Fonte: G1 RS

Continue lendo

Destaque APP

Brigada Militar prende dupla por tráfico de drogas em Veranópolis

Publicado em

em

No fim da tarde da sexta-feira, 1º de março, a Brigada Militar, através da Força Tática, prendeu um homem de 19 e outro 50 anos pelo crime de tráfico de drogas, em Veranópolis.

A prisão aconteceu no bairro Santa Lúcia, onde após uma abordagem a dois veículos, foi localizada 01 porção de cocaína, pesando 55 gramas, 01 balança de precisão, R$ 1.260,00, 02 telefones celulares, restando também dois automóveis Gol apreendidos, os quais eram utilizados para transporte de drogas.

Diante dos fatos, os homens foram encaminhados à Delegacia de Polícia para lavratura do auto de prisão em flagrante, por tráfico de drogas e, posterior, conduzidos ao Presídio Estadual de Nova Prata, onde ficarão a disposição da justiça.

Fonte: Comunicação Social do 3º BPAT

Continue lendo

Destaque APP

Casal acusado pelo MPRS é condenado por estupro de três filhas, em Viamão

Publicado em

em

O Poder Judiciário de Viamão condenou um casal pelo estupro de três filhas. Os crimes ocorreram mediante ameaças desde quando as jovens tinham, pelo menos uma delas, seis anos de idade. Uma delas sofreu abusos ainda antes do ano de 2009.

O pai das vítimas recebeu uma pena de 52 anos de prisão e mãe de 40 anos de reclusão. O cumprimento inicial da pena é em regime fechado.

Acusados pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) em 2017, os réus foram condenados no dia 22 de fevereiro deste ano na 1ª Vara Criminal do município da Região Metropolitana.

De acordo com a promotora de Justiça Bárbara Pinto e Silva, as condenações foram por quatro fatos criminosos envolvendo estupro de vulnerável e estupro qualificado.

Conforme a investigação, o fato só foi descoberto porque uma das jovens fez um desabafo com uma colega. Além dos abusos sexuais cometidos pelo pai delas, a mãe era conivente e ainda ameaçava, pelo menos uma das filhas, sobre o risco do pai ser preso.

A mulher também orientava as jovens a mentirem em depoimentos para as autoridades. Duas delas ainda tiveram de fugir de casa para não sofrerem mais com a violência sexual.

Fonte: Ministério Público do RS

Continue lendo